Porto Velho será sede…

…do primeiro Centro de Desenvolvimento do Futebol

Gerente da CBF Social, Diogo Netto apresentou projeto à Prefeitura da capital rondoniense nesta quarta-feira (22). Iniciativa irá atender a mais de 200 jovens

Porto Velho será sede do  primeiro Centro de Desenvolvimento do Futebol

Créditos: Divulgação/FFER

Nesta quarta-feira (22), o gerente da CBF Social, Diogo Netto, apresentou o projeto do primeiro Centro de Desenvolvimento de Futebol a Hildon Chaves, prefeito da cidade de Porto Velho (RO). A cidade rondoniense irá receber a iniciativa inédita, que irá atender a mais de 200 jovens da capital do estado e regiões próximas. O Centro será construído em um terreno localizado na rodovia BR-364, próximo à Universidade Federal de Rondônia (Unir).

O projeto da CBF Social se une a outra iniciativa que junta futebol e sociedade em Porto Velho – a própria Prefeitura do município mantém o projeto “Talentos do Futuro”, que presta serviços a crianças e jovens em diversas modalidades, por meio da Secretaria Municipal de Esporte e Lazer (Semes).

– A CBF já possui um terreno para construção do empreendimento. Projetos como esse (da CBF Social) são muito bem-vindos e a prefeitura vai apoiar no que foi possível. O esporte, em geral, é uma importante ferramenta para a formação de bons cidadãos – comemorou o prefeito Hildon Chaves.

Outros empreendimentos de incentivo à prática esportiva já estão previstos em Porto Velho, como o Centro de Iniciação Esportiva (CIE) e a reforma do Colégio Padrão. Ao final do encontro, o prefeito Hildon Chaves recebeu de presente uma camisa da Seleção Brasileira.

Confira a programação completa do CBF Social:

Local: Porto Velho – RO
Data: 23 a 24 de Maio de 2019

PROGRAMAÇÃO

Dia 22/05 – Quarta-feira

Apresentação do Projeto Gol do Brasil CBF Social

Dia 23/05 – Quinta-feira

Seminário sobre Futebol na Infância e na Adolescência
Local: Auditório do Colégio Major Guapindaia
Início: 9h das 11h30

Lista de palestrantes:

Abertura: Heitor Costa – Presidente da FFER.
Diogo Netto – gerente de Sustentabilidade e Responsabilidade Social da CBF – Identificação e Desenvolvimento do Talento no Futebol
Bruno Rosell – Coordenador técnico da CBF Social – Métodos de treinamento: análico x global
Osni Jacó – Coordenador da Comissão Antidopagem da CBF – Prevenção ao doping para crianças e adolescentes no futebol
Olavo Dantas – Instrutor da CBF Academy – Futebol Feminino: barreiras e oportunidades para as meninas ingressarem no futebol
Dr José Wilson Serbino Junior – Médico ortopedista – Avaliação pré-participação em jovens jogadores de futebol

Dia 24/05 – Sexta-feira

Festival de Futebol CBF Social
Local: Estádio Aluízio Ferreira
Inicio: 9h

Ações serão voltadas para as crianças no Festival de Futebol que acontecerá no estádio Aluízio Ferreira

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/cbf-social/porto-velho-sera-sede-do-primeiro-centro-de-desenvolvimento-do-futebol

Psicologia esportiva…

…. como aliado na atuação da arbitragem no futebol

Árbitras e assistentes têm aulas de psicologia esportiva durante o 1º Curso Regional para arbitragem feminina da CBF

1º Curso Regional para árbitras e assistentes da CBF - Treino de campo

Créditos: Laura Zago

Atuar como árbitra ou assistente é estar diante de um trabalho que tem como elementos principais a pressão e a exigência. Em uma fracção de segundos uma decisão precisa ser tomada. Não é uma tarefa fácil e, por isso, os profissionais estão cada vez mais se capacitando, seja fisicamente ou psicologicamente, ou contando com apoio da tecnologia, com o árbitro de vídeo (VAR). A CBF promove, até este domingo (21), o 1º Curso Regional para árbitras e assistentes da CBF, apoio da Federação Catarinense de Futebol (FCF). Entre as aulas e atividades ministradas uma se destaca: a psicologia esportiva.

A ideia é ajudar as profissionais a lidarem com situações de estresse do jogo, buscando auxiliar na manutenção do foco ao longo de toda a partida, sem que a pressão da torcida atrapalhe o desempenho da árbitra ou assistente. A psicóloga Mayron Gotardo acompanha a arbitragem da FCF e traça planos de trabalho para ajudar no exercício da função.

– Traçamos um plano de trabalho a partir de uma análise que fazemos com cada um. Avaliamos a partir de testes psicológicos a atenção, a personalidade e os aspectos motivacionais para ver como esse árbitro/assistente está no momento. Nós buscamos melhorar o desempenho com treinos mentais e aspectos emocionais para auxiliar na tomada de decisão e no tempo de reação de resposta – explica Mayron.

Assistente desde os 21 anos, Luiza Reis sente na pele o que é a pressão de trabalhar na arbitragem há nove anos. Federada pelo Rio Grande do Sul, neste ano, atuou em mais de dez jogos do Campeonato Gaúcho da primeira divisão. Junto com a psicóloga Marta Magalhães, da Comissão de Arbitragem da CBF, ela vem trabalhando com exercícios mentais para ajudar no desempenho em campo.

– Tem me ajudado demais, principalmente, em conseguir focar apenas no que está acontecendo dentro do campo, sem perder o foco ou a atenção com o que acontecem fora. Ou até mesmo com algum erro que possa ter acontecido e poderia prejudicar no restante da partida – analisa Luisa.

Psicologia esportiva como aliado na atuação da arbitragem no futebolPsicologia esportiva como aliado na atuação da arbitragem no futebol
Créditos: Laura Zago

Dividir a vida profissional de árbitro/assistente com a pessoal é um outro desafio. Além de trabalhar para que não carreguem as questões do jogo, como pressão ou ofensas, para o seu dia a dia, as psicólogas também exercitam o emocional para que hajam com consciência em momentos de estresse.

– Dentro de campo o árbitro/assistente é o único que não pode “estourar”, eles precisam sempre manter a postura e a firmeza dentro de campo. Então é necessário ter esse momento de acolhimento do profissional, porque ele precisa falar sobre o que aconteceu, como se sentiu dentro do jogo e a psicologia está aqui para oferecer esse acolhimento – conclui Mayron.

1º Curso Regional para árbitras e assistentes da CBF acontece até nesse domingo (21), no Sesi Blumenau, Santa Catarina. Além de seguirem o estudo continuo das regras de jogo, as árbitras e assistentes passaram por testes físicos, treinamento de campo, introdução ao árbitro de vídeo (VAR), e também tiveram aulas de psicologia esportiva.

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/psicologia-esportiva-como-aliado-na-atuacao-da-arbitragem-no-futebol

Escalas …

Brasileirão: veja os árbitros da rodada de estreia nas Séries A, B e C

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/brasileirao-veja-os-arbitros-da-rodada-de-estreia-nas-series-a-b-e-c

Árbitros que irão apitar rodadas iniciais das três primeiras divisões do Brasileiro foram definidos em audiência pública, nesta segunda (22), na sede da CBF

Treino de VAR na Granja Comary para a imprensa durante treino da Seleção Sub-15

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

Em audiência pública realizada na tarde desta segunda-feira (22), em conformidade com a legislação federal 10.671/2003 e 13.155/2015, a CBF sorteou os árbitros que irão apitar a rodada de estreia dos Campeonatos Brasileiros Série A, B e C, além da segunda rodada da Série B.  A escolha dos árbitros teve como critérios de designação as fases da competição, a importância e grau de complexidade de cada partida e a qualificação, condicionamento físico e desempenho técnico dos árbitros.

Vale lembrar que os árbitros não serão designados para as partidas das equipes da Federação a que pertencem e quando tiverem atuado em partidas das equipes que atuaram na rodada imediatamente anterior. Confira os nomes abaixo:

Série A

Atlético-MG x Avaí – Rodolpho Toski Marques (PR)
Flamengo x Cruzeiro – Anderson Daronco (RS)
Chapecoense x Internacional – Raphael Claus (SP)
São Paulo x Botafogo – Caio Max Augusto Vieira (RN)
Bahia x Corinthians – Wilton Pereira Sampaio (GO)
CSA x Ceará – Adriano Milczvski (PR)
Athletico Paranaense x Vasco – Luiz Flavio de Oliveira (SP)
Fluminense x Goias – Dewson Freitas (PA)
Grêmio x Santos – Bruno Arleu de Araújo (RJ)
Palmeiras x Fortaleza – Braulio da Silva Machado (SC)

Série B

– Primeira rodada

Sport x Oeste – Felipe Fernandes de Lima (MG)
Operário x América-MG – William Machado Steffen (SC)
Brasil de Pelotas x Bragantino – José Mendonça da Silva Junior (PR)
São Bento x Atlético-GO – Vinicius Gomes do Amaral (RS)
Vila Nova-GO x Paraná – Antônio Dib Moraes de Sousa (PI)
Criciúma x Cuiabá – Edina Alves Batista (SP)
Guarani x Figueirense – Luiz César de Oliveira Magalhães (CE)
Botafogo-SP x Vitória – Pathrice Wallace Corrêa Maia (RJ)
CRB x Londrina – Jose Claudio Rocha Filho (SP)
Coritiba x Ponte Preta – Ronei Cândido Alves (MG)

– Segunda rodada

América-MG x Botafogo-SP – Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Oeste x Guarani – Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Ponte Preta x Cricíuma – Marielson Alves Silva (BA)


Série C

Imperatriz-MA x Globo-RN – Diego da Silva Castro (PI)
Tombense-MG x São José-RS – Adriano Barros Carneiro (CE)
Remo-PA x Boa-MG – Ivan da Silva Guimarães Júnior (AM)
Volta Redonda-RJ x Atlético-AC – Tiago Nascimento dos Santos (PE)
Ypiranga-RS x Paysandu-PA – Luiz Paulo
Luverdense x Juventude – Zandick Gondim Alves Junior (RN)
Botafogo-PB x Ferroviário-CE – Hélder Brasileiro de Aquino (AL)
ABC-RN x Náutico-PE – Rafael Martins Diniz (DF)
Confiança-SE x Sampaio Corrêa-MA – Ricarle Gustavo Gonçalves Batista (BA)
Santa Cruz-PE x Treze-PB – Felipe Duarte Varejão (ES)

Dia das Mães

A história de Dona Tereza, mãe de dois árbitros

Em entrevista exclusiva à CBF TV, Dona Tereza fala sobre como foi criar dois juízes dentro de casa: Paulo César e Luiz Flávio de Oliveira

Falta pouco para o início do jogo. Os 22 jogadores se perfilam na entrada dos vestiários. Ao som ensandecido das torcidas, entram em campo. São eles os astros da partida que está prestes a começar. Pelo menos, para a maioria das pessoas. Para Dona Tereza, contudo, as estrelas não estão defendendo nenhum dos dois times.

E não é para menos. Tereza é mãe de dois árbitros de futebol: mais velho, Paulo César de Oliveira já se aposentou. O caçula, Luiz Flávio, pertence ao quadro da FIFA e trabalha em alguns dos jogos mais importantes do nosso futebol. É tanta pressão que ela nem vê mais os jogos de seus filhos. E se justifica: fica nervosa demais e não entende muito bem as regras do jogo.

– Eu só vejo eles entrarem no campo. Depois eu não assisto, que eu não entendo de futebol. Eu não torço para nenhum time, então eu torço para eles, quando eles tão apitando. Eles estão fazendo a coisa que gostam. A torcida xinga, mas isso não me incomoda. Ser mãe de árbitro é muito bom – contou, em entrevista exclusiva à CBF TV.

Arbitragem, caso de família

A paixão pela arbitragem surgiu cedo na família de Dona Tereza. Quando tinha 17 anos de idade, Paulo César foi convidado para completar o trio de árbitros em um campeonato regional de Cruzeiro, no interior de São Paulo. Ainda dividindo a função com o sonho de ser jogador, ele pegou gosto pela coisa.

“A torcida xinga, mas isso não me incomoda. Ser mãe de árbitro é muito bom”

A paixão ao primeiro apito ficou ainda mais forte meses depois. Jogando futebol, Paulo sofreu uma lesão e acabou apostando em seu futuro na arbitragem. Dos campos de várzea foi para as aulas na Federação Paulista, se tornou árbitro do quadro da CBF e da FIFA. Apitou por cerca de 20 anos. A escolha, obviamente, deu muito certo. E tem um ponto essencial para isso: Dona Tereza.

– O dia mais difícil foi quando o Paulo César começou a ir para São Paulo para estudar para ser árbitro. Era muito difícil. Às vezes ele estava sem dinheiro, eu ficava preocupada com a viagem, porque ele chegava tarde em casa. Mas eu dava o maior apoio. Sempre dei a maior força, preparei as roupas tudo direitinho. Quando ele ia, já estava tudo arrumado. Nunca falei para ele desistir – lembrou.

O caçula entre 11

Com o espelho dentro de casa, o caminho para a arbitragem se apresentou para o caçula de uma família de 11 irmãos: Luiz Flávio. Mas o destino tornou as coisas ainda mais complicadas para ele e Dona Tereza. Com apenas quatro anos de idade, perdeu o pai, e viu sua mãe se desdobrar. Sozinha, foi praticamente pai e mãe, e sustentou o crescimento de dez homens dentro de casa.

Apesar de tudo isso, Tereza e Luiz Flávio conseguiram superar as barreiras impostas pela vida. Seguindo o exemplo de Paulo César, Luiz tornou-se árbitro pela Federação Paulista. Atualmente, integra o quadro da FIFA e é um dos árbitros brasileiros que também trabalham fora do país. Ainda assim, sempre faz questão de se encontrar com a mãe antes de cada jogo.

– Eu não consigo fazer nenhum jogo, todas as minhas escalas, nacionais ou internacionais, antes de passar na minha casa, pedir a benção, a proteção. Avisá-la para onde estou indo, quando eu retorno – revelou.

Ser mãe nunca foi uma tarefa fácil. Disso, Dona Tereza sabe bem. Principalmente para ela, que foi mãe, pai, conselheira, professora e tudo mais que pudesse ser para os seus filhos. Hoje, a cada passo que Luiz Flávio e Paulo César dão em suas respectivas carreiras, está a marca de Tereza. A marca de uma brasileira. De, como o próprio Paulo César definiu, uma mulher guerreira, companheira, que nunca se cansa em ajudar seus filhos. Em outras palavras: a marca de uma mãe.

Paulo César de Oliveira e sua mãe, Dona Tereza

No colo da mãe, Paulo César de Oliveira, ex-árbitro FIFA

Créditos: Matheus Meyohas/CBF

 

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/especial-de-dia-das-maes-dona-tereza-a-mae-de-dois-arbitros

With VAR, fouls and cards drop,

and offsides plummet; ball-in-play time decreases by one minute

In five different matches, injury time was lower than the total VAR-related ball-out-of-play time. Overall offsides drop from one hundred to 59 in these first stages of the competition

By Valmir Storti — Rio de Janeiro

VAR is here to stay, so all that is left for us to do is examine the consequences. In the first three rounds of the Brasileirão (Brazilian National Football Championship), the overall number of fouls dropped, as well as the number of cards awarded, however, the main difference is that assistants are working significantly less: 40% fewer offsides were awarded. Interestingly, although this means fewer downtime, ball-in-play time was lower than last year’s, at which time there was no VAR.

“This is already an impact of VAR. I am very surprised by the significant decrease in offsides and this concerns me, since play is only reviewed if a goal is scored immediately. If there is a foul after an offside that fails to be awarded, this could lead to a goal resulting from an illegal play. Recommendation action is not to raise the flag only in difficult plays. In one-meter offside situations there is no reason not to raise the flag”, Grupo Globo network’s refereeing commentator Sálvio Spínola Fagundes Filho stated.

Generally speaking, in the last six seasons tracked by the Statistical Spy, in each set of ten offsides awarded, linesmen fell short in two, therefore, in theory, awarding fewer offsides would equal fewer mistakes.Of the overall 59 offsides awarded in these first stages of the Brasileirão, the Statistical Spy verified that 54 of them were righteously awarded, whereas five were wrongly awarded (9%). Camera positions and long balls by the defense, in which cases forwards fail to appear on the screen, are some of the issues that hinder adequate assessments on linesmens’ effectiveness. Of the one hundred awarded in the first three rounds in 2018, the Spy assessed 85, and 17 were poorly awarded (20%). Linesmen are adversely affecting fewer attacking plays, nevertheless, the issue is whether forwards will now end up gaining an advantage whenever clear offsides fail to be awarded.

Another significant change in the game relates to the number of fouls, which decreased 9% compared to last year’s first three rounds. The number of fouls had been falling each year, however, last year recorded a 4% increase at the start of the competition as opposed to the previous year. Now, these figures are dropping again.

Moreover, the decrease in number of fouls led to fewer card sanctions, which can also be deemed good news. However, this is dependent upon what caused this cut in sanctions: is the game becoming fairer, as can be expected due to VAR’s oversight, or will referees become increasingly lenient towards offenses?

When only cards resulting from fouls are computed (failing to take into account delaying play intentionally, goal celebrations, player disputes when the match has already been stopped, complaints and diving), we notice that the number of fouls required for a card to be shown is on the rise. From an average of one card per seven fouls (2015 and 2016), this figure rose to an average of one card (yellow or red) per ten (2017) or nine (2019) fouls. Either referees have become more lenient or athletes have adjusted well and learned how to foul successfully. With a drop in the number of fouls and cards, one would expect ball-in-play time in matches to increase.

When VAR did not exist, average injury times at the end of each half were greater than the times being accounted for at the 2019 Brasileirão.

Of the 30 matches played so far in the Brasileirão, 22 of them (73%) were stopped at some stage for a play to be reviewed. There were 14 matches (47%) with VAR-related match interruptions in the first half, and in 13 of these incidents or 93% of situations, the injury time added at the end of the first half was lower than in previous years, when after computing match time lost due to video assistant referee, VAR interrupted 18 matches (60%) at some stage in the second half, and when match times lost due to VAR were computed, in 13 of them injury times added at the end of matches were lower than averages recorded in the last couple of years.

“In regards to the total match playing time, injury times are not being considered, and VAR’s goal is not being reached”, Grupo Globo’s refereeing commentator Paulo César de Oliveira stated.

In the 30 matches, there were 43 play interruptions for VAR to review. In five matches, VAR-related match interruption time was greater than injury time, when failing to take into account fouls and other interruptions. This happened in three first-halves and two second-halves in different matches. In the Atlético-MG 2-1 Avaí clash, match was interrupted for 6min26s, however, the injury time was 4min57s. In the remaining incidents, the difference is less than one minute, but it is worth pointing out that we are only considering VAR. Other usual match interruptions also took place, such as substitutions, fouls, penalty kicks, etc. Common sense states that a second half’s injury time would amount to at least four minutes, in addition to VAR-related match time lost. Nevertheless, this was not the case.

“Some of VAR’s goals include increasing ball-in-play times and numbers of goals scored, as well as decreasing foul numbers. Here in Brazil we introduced the role of a VAR protocol supervisor who is in charge of measuring the overall match time lost and letting officials know how much time needs to be added due to use of VAR”, Grupo Globo’s refereeing commentator Sandro Meira Ricci said.

Consequently, in this year’s first three rounds the average ball-in-play time ended up decreasing by one minute compared to last year, and the percentage of total playing time dropped two percentage points from 58% in 2018 to 56% in 2019. As Sandro Meira Ricci says, “it’s just the beginning of the championship, there is time to get back on track”.

*The Statistical Spy team is comprised of: Caio Tatesawa, Guilherme Maniaudet, Guilherme Marçal, Leandro Silva, Roberto Maleson and Valmir Storti.

https://globoesporte.globo.com/sp/futebol/brasileirao-serie-a/noticia/sob-o-var-faltas-e-cartoes-caem-e-impedimentos-despencam-tempo-de-bola-rolando-baixa-um-minuto.ghtml

VAR in full swing…

…Technology is decisive, rectifies errors and changes outcomes

The Video Assistant Referee (VAR) technology showed up in a decisive way last weekend. In Minas Gerais, Rio de Janeiro and São Paulo, VAR was used to rectify errors, come to the rescue of referees and, in a way, change the outcome of the three state championships where it was used.

In the Minas Gerais State Championship (Campeonato Mineiro), Cruzeiro was benefited by the technology, which did not allow an illegitimate goal scored by América-MG to be validated. One day later, Atlético-MG’s clash against Boa Esporte was stopped three times.

In Rio de Janeiro, right in the first 15 minutes of play between Flamengo and Fluminense, the referee checked video footage twice. The Vasco vs. Bangu match also saw VAR come into play. In the São Paulo State Championship (Paulistão), both Palmeiras and São Paulo plays were reviewed by VAR technology.

Campeonato Carioca (Rio de Janeiro State Championship)

Flamengo vs. Fluminense (Saturday)

Right at the 8-minute mark of play, defensive midfielder Willian Arão opened the scoring at Maracanã Stadium after a successful header. Nevertheless, after looking at video footage, the referee saw a foul by defender Léo Duarte on goalkeeper Rodolfo right before the midfielder headed the ball into the net at Maracanã.

Nearly one minute later, the referee stopped play again to examine a potential foul committed by Gilberto, who was only awarded a yellow card and remained on the pitch to later make it 1-0 for Fluminense.

The goal forced Flamengo to play more offensively in search of the draw, in order to secure their place at the finals – Gabigol scored the equaliser in the second half and ensured the result needed to put the red-and-black jersey team of Flamengo in the final match.

Vasco vs. Bangu (Sunday)

Vasco da Gama benefited from use of Video Assistant Referee. Already entering the pitch with the edge of advancing with a draw due to a better campaign over Bangu, the squad was awarded a penalty kick by the referee, who failed to see a player being pulled by his shirt inside the penalty box.

After looking at video footage and validating the offence, Bruno César took a successful penalty kick, opened the score and set Vasco in their path to secure their spot at the finals (coach Alberto Valentim’s team won 2-1).

Campeonato Mineiro (Minas Gerais State Championship)

Cruzeiro vs. América-MG (Saturday)

Léo (left) opens the scoring shortly after the referee disallowed a goal scored by América-MG. Photo Credit: Thomás Santos/Agif

Cruzeiro sailed smoothly into the ‘Mineiro’ finals thanks, largely, to VAR. The referee disallowed a goal scored by Felipe Azevedo still in the first half of play, after nearly 5 minutes’ talking and discussions. The América-MG player himself praised VAR and admitted to the foul awarded after use of the technology. Nearly one minute later, coach Mano Menezes’ team opened the scoring thanks to an effort by Léo and secured their place at the finals.

At that stage, América-MG’s goal totally changed the shape of the match. The defender’s swift response lead to an uneventful match that would have otherwise gained undertones of drama thanks to América’s illegitimate goal, who lost 3-2 in the first leg and needed a win to advance in the competition.

Atlético-MG vs. Boa Esporte (Sunday)

Luan “mocked” VAR: the referee only awarded the second goal scored after checking the video monitor. Photo Credit: Marcelo Alvarenga/Agif

Nevertheless, no one used VAR as much as referee Anderson Daronco in yesterday’s (07 April) match at Mineirão Stadium. The referee proceeded to the VAR booth three times during the match, all of them concerning attacking plays by Atlético-MG. Shortly after match kick-off, Luan’s goal was disallowed due to his offside position. Shortly thereafter, a play by the same 27 jersey-number player was again being examined by the technology.

However, after looking at footage for minutes, Daronco and the refereeing team validated Luan’s “second” goal, finding that the ball had not been deflected by player Ricardo Oliveira, which would consequently put Luan in offside position. VAR was also used to validate Vinicius’ goal, which wrapped up the final 5-0 score.

Campeonato Paulista (São Paulo State Championship)

Palmeiras vs. São Paulo (Sunday)

São Paulo defeated Palmeiras following a penalty shoot-out at Palmeiras’ home Allianz Parque grounds and guaranteed their place at the São Paulo State Championship finals after two successful VAR reviews. At first, coach Cuca’s side were not pleased to see Liziero’s offside position confirmed, since the player had beaten goalkeeper Fernando Prass and opened the scoring.

Moreover, São Paulo’s patience was put to the test again with an even greater challenge at 32 minutes in the second half. Following a play by Diogo Barbosa, Deyverson controlled the ball inside the penalty box and scored Palmeiras’ first goal in the match. The player bearing jersey number 16 celebrated and the stadium roared in joy, much to the disappointment of São Paulo fans watching the match at home on their TVs.

Nevertheless, minutes later, VAR halted celebrations for the goal that was then pushing Palmeiras into the finals. The technology verified that the Palmeiras player was in offside position, thereby leading the referee to disallow the goal. The score remained 0-0 and São Paulo guaranteed their place at the finals after beating their rivals in a penalty shoot-out.

Careca and Oscar as VARs,

Featuring Careca and Oscar as VARs, Guarani trio officiates a CBF training program-match played by referees; pictures

Ricardinho, Rondinelly and Diego Cardoso exchange roles with referees and assistant referees and go through a unique experience in Águas de Lindóia.

 15/04/2019 17h04  Updated 4 hours ago

Ever thought about a match played by referees and officiated by players? And, moreover, with former stars at the VAR booth? That is exactly what happened this Monday in Águas de Lindóia (190km from São Paulo City).

The exchange of roles wrapped up the 4th Video Assistant Referee Training Program for referees and assistant referees selected to officiate the 2019 ‘Brasileirão’ (Brazilian National Football Championship), which will feature VARs in every match. Referees put on players’ kits and then took to the pitch.

Meanwhile, whistle and flags were given to three Guarani players: Ricardinho, Rondinelly and Diego Cardoso. They took turns in each role: each one took on the role of referee for 30 minutes and assistant referee in the remaining 60 minutes.

Careca, Milton Cruz and Oscar took on the role of Video Assistant Referees — Photo Credit: Carlos Velardi / EPTV

The first one to joke about the whole ordeal, still in the dressing room, was attacking midfielder Rondinelly, while the refereeing trio was still getting instructions on how to officiate the match.

– I am very eager to hand out a red card. But all joking aside, this is a unique experience which will enable us to know what it is like on the other side.

The CBF refereeing program started on 18 March, featured three classes and brought together 96 refereeing professionals. The program was concluded this Monday, following the referee vs. assistant referee clash.

Diego Cardoso hands out a yellow card — Photo Credit: Leticia Martins/ GuaraniPress

– The whole idea of the event meets exactly what Rogério Caboclo talked about [during his introduction speech as the new CBF president]. It is the pursuit of mutual respect, players, technical staffs and referees. This exchange was interesting because the player is able to feel what it is like to be a football referee. And here at the VAR room, he is able to understand what a VAR is, support, duties, at which times you will intervene in the match. I see it as a unique and wonderful experience aimed at showing that football is not only about two teams facing each other – stated Ana Paula de Oliveira, a former assistant who is now CBF’s refereeing instructor.

In addition to the trio comprised of Guarani players, the VAR team also featured special guests: former Ponte Preta and São Paulo defender as well as the 1982 World Cup Brazil National Team captain Oscar, and former forward Careca, a 1978 Brazilian Champion while playing in Guarani and a former São Paulo and Brazil National Team player, were assisted by coach Milton Cruz in the Video Assistant Referee room.

– So you have protocols. I arrived at 9 a.m. and the staff explained them to me, but it was hard. You have the know all the rules and there is also the protocol, you are not allowed to decide, the referee decides. It is a highly rewarding experience, even when we watch the state finals, which are experiencing some delays in VAR reviews. However, this is encouraging, plays are being rectified. We need to speed it up, but there are a lot of things involved. You deal with straightforward plays, as well as plays with two or three cameras which are hard to come to a final decision – Careca explained.

After reviewing a play at the VAR review area, Rondinelly awards a penalty offence —  Photo Credit: Leticia Martins/ GuaraniPress

After the end of the match, at which time the referee team celebrated their victory against the assistant referee team and everyone received trophies and medals, “referee Ricardinho” talked about the experience.

– It was fun to be able to officiate the match, it was definitely cool. In my opinion, the hardest thing is being a linesman. Playing is easier than both of them. The experience was fun, but I think my experience as a referee ends today – Ricardinho joked.

See other event pictures below:

Ricardinho talks through the communications system — Photo Credit: Leticia Martins/ GuaraniPress

Event opening in Águas de Lindóia — Photo Credit: Leticia Martins/ GuaraniPress

Supervised by Ana Paula de Oliveira, VARs tried to assist the Guarani player trio — Photo Credit: Carlos Velardi / EPTV

Referees won the clash and were given trophies and medals — Photo Credit: Carlos Velardi / EPTV

Following the end of the event, refereeing professionals, CBF employees and Guarani players celebrated together —  Photo Credit: Carlos Velardi / EPTV

https://globoesporte.globo.com/sp/campinas-e-regiao/futebol/noticia/com-careca-e-oscar-no-var-trio-do-guarani-apita-partida-de-arbitros-em-curso-da-cbf-fotos.ghtml

 

Rompendo barreiras

Escalada para apitar na Série A, Edina Alves vibra: ‘Rompendo barreiras’

Paranaense será a primeira mulher a apitar em um jogo da elite do futebol brasileiro após mais de uma década e exalta tratamento igual para os gêneros no ofício

Árbitra Edina Batista - Treinamento intensivo na Granja Comary

Créditos: Kin Saito/CBF

CSA e Goiás se enfrentam na noite desta segunda-feira (27) pela sexta rodada do Campeonato Brasileiro 2019. Além de duelo entre  torcidas apaixonadas, o confronto representa um marco para o futebol do país. Uma mulher voltará a comandar um jogo da elite após 14 anos. No quadro da FIFA desde 2016, Edina Alves foi a escalada para o confronto e não esconde a alegria sobre o momento.

Em conversa com o site da CBF, a paranaense exaltou o tratamento igual para os gêneros na arbitragem da CBF, falou sobre a preparação para a Copa do Mundo, relembrou o início como assistente e muito mais. Edina, que se formou para o ofício em 2001, também destacou como espera ser tratada e lembrada.

“Não quero ser tratada como a Edina mulher, mas como qualquer árbitro ou árbitra do quadro”

“Sei que ainda existe o preconceito, mas estamos rompendo barreiras. Não quero ser tratada como a Edina mulher, mas como qualquer árbitro ou árbitra do quadro. O Gaciba (Leonardo, presidente da Comissão de Arbitragem da CBF) está fazendo isso, tratando todos iguais. Agradeço a ele pela coragem de me colocar. Eu e a minha equipe estaremos iluminados e vamos fazer um grande trabalho. Sempre tive o apoio das comissões, tanto do Sérgio (Corrêa) quanto do Coronel (Marcos) Marinho, do Alício (Pena Júnior), do (Cláudio Vinícius) Cerdeira… Do Gaciba não tenho nem o que falar. Ele chegou e já me escalou para a Série A. Agradeço muito também ao presidente da CBF, Rogério Caboclo, por tudo o que está proporcionando para nós, e destaco também o apoio que recebi da Federação Paulista, através do Dionísio (Domingos), do (Ednílson) Corona, do presidente Reinaldo (Bastos) e toda a comissão”, declarou.

Paranaense de Goierê, Edina iniciou a carreira na arbitragem como assistente. Ela trabalhou em grandes jogos, como na Série A do Brasileirão, chegou a ser aspirante ao quadro da FIFA e liderava o ranking da sua carreira. O sonho de trabalhar como árbitra central mexeu com a sua cabeça e ela resolveu começar tudo do zero aos 34 anos. Ouviu muitas negativas, mas sua determinação fez com que nada disso a parasse.

Árbitra Edina Batista - Treinamento intensivo na Granja ComaryEdina Alves Batista fez período de preparação árdua para competições da FIFA na Granja Comary
Créditos: Kin Saito / CBF

“Todos da comissão da CBF me apoiaram, mas no meu estado foi muito difícil eles aceitarem. Vários falaram que eu era louca, que já estava na Série A, que teria de começar tudo de novo… Mas eu disse que não tinha preguiça. Era o meu sonho, o que eu sempre quis e fui buscar. Voltei tudo e fiz Sub-15, Sub-17 e todas as categorias no Paraná. Na CBF continuei no Feminino, apitei base, Aspirante, apitei Séries D, C e B e o escudo (da FIFA) veio para mim em 2016. Eu não esperava. Quando o professor Sergio (Corrêa) me ligou foi uma alegria muito grande. É uma carreira muito concorrida e o escudo é o topo”, acrescentou.

Edina vai representar o Brasil na Copa do Mundo Feminina FIFA na França. A preparação dela para esta e outras competições de alto nível do futebol mundial começou lá atrás. Em 2017, quando entrou para a relação do Mundial, passou cinco dias trabalhando o técnico, físico, mental e social na Granja Comary, em Teresópolis (RJ), com o auxílio da Comissão de Arbitragem da CBF. O trabalho já rendeu a participação no Mundial Sub-20 do ano passado, quando fez jogos na campanha e atuou como quarta árbitra na grande decisão, e presença em torneios importantes da Conmebol. Para ela, tudo isso é muito importante, mas a oportunidade de trabalhar na Série A parece representar algo ainda maior.

“O mundial foi inesperado. Eu sempre quis representar o nosso país. Mostrar que a arbitragem brasileira tem força, sempre quis fazer grandes jogos. O professor (Wilson Luiz) Seneme me ajudou muito nisso até, me orientando de várias formas. Mas no começo eu não pensava em mundial. Queria apitar jogo da Série A lá atrás. Era esse o meu sonho quando eu comecei. Todo mundo que me conhece sabe isso, eu dizia que um dia apitaria um jogo da Série A. São realizações. O que vai acontecer foi o que eu busquei lá atrás. Sempre me senti realizada nas quatro linhas, mas eu queria mesmo ser árbitra central e alcançar algo como um jogo da Primeira Divisão”, revelou.

Edina ao lado de Neuza Back e Tatiane Camargo, trio que representará o Brasil na Copa do Mundo Feminina da FrançaEdina ao lado de Neuza Back e Tatiane Camargo, trio que representará o Brasil na Copa do Mundo Feminina da França
Créditos: Kin Saito / CBF

Ao lado de Edina no gramado do Rei Pelé, em Maceió (AL), estará a assistente Neuza Back, que irá com ela na Copa do Mundo da França 2019. Tatiane Camargo, a auxiliar que completa o trio brasileiro do Mundial Feminino, está se recuperando de uma lesão e não foi escalada. O outro assistente da partida será Emerson Augusto de Carvalho, que foi auxiliar durante a Copa da Rússia, em 2018. Edina e Neuza são amigas de longa data. A paranaense comemora por ter a parceira ao lado em mais uma conquista.

“Pois é, ela (Neuza) estará lá comigo mais uma vez. A gente se conhece há dez anos. Fiz um jogo como árbitra em 2008 lá em Santa Catarina e ela bandeirou pra mim. Me contou alguns anos após a partida que quando chegou em casa do jogo disse ao marido que havia conhecido uma árbitra de verdade. Nós sempre conversamos, sobre o trabalho, informação de regra, e começamos uma amizade a distância. Agora estamos na mesma federação, no mesmo sonho que é o mundial e ela ao meu lado na Série A. Isso só torna o momento ainda mais especial”, destacou.

A última partida da Série A comandada por uma mulher foi em 2005, no duelo entre Fortaleza e Paysandu, pelo segundo turno do Campeonato Brasileiro. A responsável pelo jogo foi Silvia Regina, que acompanhará de perto o confronto desta segunda entre CSA e Goiás. A ex-árbitra será a supervisora do VAR (árbitro de vídeo) no Rei Pelé, em Maceió. Este encontro entre passado e presente representará uma nova era, de um futuro com cada vez mais árbitras no futebol de elite do Brasil.

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/escala-para-a-serie-a-edina-alves-vibra-estamos-rompendo-barreiras

VAR: Novidade no Pará

Mangueirão recebe VAR, árbitro assistente de vídeo

A ferramenta será instalada para o jogo entre Paysandu x Internacional
Publicado em 27/05/2019

O Estádio Olímpico do Pará, famoso Mangueirão, recebe hoje (27) os equipamentos do VAR (Video Assistant Referee), um sistema de apoio para os árbitros pelo qual se permite mudar decisões em lances considerados duvidosos no jogo. A tecnologia será usada na oitava rodada da Copa do Brasil, durante a partida de volta das equipes do Paysandu (PA) e Internacional (RS) na próxima quarta-feira, 29.

O espaço em que serão instalados os equipamentos foi visitado no dia 3 de maio pelo gerente de Operações da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Guilherme Barbosa. Desde então, a diretoria preparou o local para receber o VAR, que será usado pela primeira vez no norte do país. “Esses equipamentos serão colocados pela equipe da CBF, na segunda, na sala que já está pronta para ser utilizada”, afirma o diretor do estádio, Adélio Mendes.

O advento do VAR faz parte de um trabalho de modernização do estádio, pois, segundo Adélio, o mangueirão está se adequando para sediar competições nacionais e internacionais e o sistema de árbitro de vídeo está sendo bastante utilizado. Na copa do Brasil, a assistência do árbitro de vídeo tem sido utilizada no torneio desse ano.

A gestão do Mangueirão é de responsabilidade da Secretaria de Estado de Esporte e Lazer – Seel. O estádio foi inaugurado em 1978 e depois reinaugurado em maio de 2002, sendo uma importante obra da arquitetura e engenharia da capital paraense com capacidade para 45.007 pessoas.

Foto: Marcello Zambrana/AGIF

http://www.portalcultura.com.br/node/50847

60 anos

Presidente do SAFESP parabeniza Sérgio Corrêa da Silva

São Paulo, SP, 30/05 – O presidente do Sindicato dos Árbitros de Futebol do Estado de São Paulo (SAFESP), Arthur Alves Júnior (à direita na foto acima), em nome de toda a Diretoria da entidade, cumprimenta por mais um ano de vida o ex-presidente do SAFESP Sérgio Corrêa da Silva (à esquerda). Sérgio atinge nesta quarta-feira, 30/05, a marca 60 anos de vida e durante o período em que foi presidente do SAFESP foi responsável por muitas melhorias para a arbitragem paulista, incusive sendo o responsável pela compra do imóvel que hoje é a sede do SAFESP.

“Desejo em nome de toda a Diretoria do SAFESP os mais sinceros cumprimentos de felicidade e alegria ao Sérgio. Quando presidente do Sindicato fez muita coisa pela classe e lutou com todas as forças para a melhoria da arbitragem paulista. Hoje está bem sucedido na profissão, sendo o homem forte do árbitro de vídeo no Brasil. Sempre foi lutador e merecedor do cargo e da posição que ocupa no cenário nacional”, falou o mandatário do SAFESP.

Sérgio foi árbitro de futebol e começou no Quadro Paulista. Depois atingiu o status de árbitro do Quadro Nacional, trabalhando de 1989 à 2000. Possui em seu currículo, além do cargo de ex-presidente do SAFESP, foi presidente da Comissão Estadual de Arbitragem, presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (duas passagens: de 2007 à 2012 e de 2014 à 2017), Diretor da Escola Nacional de Arbitragem, um dos fundadores da Associação Nacional de Arbitragem (ANAF) e é hoje o homem forte do VAR (árbitro de vídeo) no Brasil. Sempre foi estudioso e é sem dúvida alguma, um dos homens que mais pode discutir sobre arbitragem no Brasil.

Fonte: site http://www.safesp.org

Nota: Apenas um reparo. a aquisição do imóvel foi feito pela Administração José de Assis, da qual era o VP.