CA-CBF: Balanço de 2018

Arbitragem: balanço da temporada 2018

Arbitragem brasileira encerra a temporada de 2018 com conquistas históricas e marcas individuais e coletivas que confirmam um resultado positivo neste ano

Cabine do Árbitro de Vídeo na Vila Belmiro para a partida entre Santos e Cruzeiro pela Copa do Brasil 2018

Créditos: João Moretzsohn / CBF

A arbitragem brasileira encerra a temporada de 2018 com conquistas históricas e marcas positivas. Neste ano, a Comissão Nacional de Arbitragem da CBF, em parceria com a Escola Nacional de Árbitros de Futebol (ENAF), seguiu firme as diretrizes do projeto de desenvolvimento, aperfeiçoamento e renovação do quadro nacional de árbitros. Foram dezenas de treinamentos específicos organizados em uma programação de atividades técnicas, físicas e mentais para compor uma formação dinâmica e abrangente dos profissionais da arbitragem no país. Presidente da Comissão Nacional de Arbitragem, Cel. Marcos Marinho fez um balanço anual do trabalho investido no quadro de árbitros do Brasil.

“O balanço que fazemos da arbitragem brasileira em 2018 é bastante satisfatório. Nós executamos um bom trabalho na nossa pré-temporada visando as competições neste ano, e realizamos todos os cursos que foram programados para este ciclo anual: os PRABs, os RAP/FIFA, os cursos de capacitação para VAR, além das habilitações físicas e teóricas. Um ano bem cheio e repleto tendo em vista a constante melhoria da arbitragem. Esperamos intensificar as atividades em 2019 e obter um sucesso ainda maior do que o atingido neste ano”, afirmou.

Abaixo, seguem pontuados os principais destaques alcançados pela arbitragem brasileira em 2018.

VAR

A principal novidade implementada pela Comissão Nacional de Arbitragem da CBF em 2018 foi a tecnologia do Árbitro Assistente de Vídeo (VAR). Cuidadosamente planejada para ser lançada pela primeira vez em uma competição nacional organizada pela Confederação Brasileira de Futebol. A ferramenta foi implantada na Copa do Brasil 2018, com estreia a partir da fase de quartas de final do torneio mais democrático do país. Ao todo, foram 14 jogos com o auxílio do vídeo à disposição e um saldo final extremamente positivo. 

Para tornar possível a implementação da ferramenta, a Comissão de Arbitragem, em parceria com a ENAF, promoveu ciclos de treinamentos e capacitação para uso correto da tecnologia. Foram preparados programas de atividades voltados para aptidões específicas dentro e fora de campo relacionadas ao uso do VAR, além de extensivo material teórico e exercícios práticos para dar aos profissionais da arbitragem a mais completa experiência em contato com a ferramenta. 

Visitas IFAB

Comprometida em seguir todas as diretrizes impostas para a perfeita implementação do VAR no Brasil, a CBF contou com visitas sistemáticas de representantes do International Football Association Board (IFAB), entidade ligada à FIFA responsável pela preservação das regras e normas do esporte. Ao longo de todo projeto de organização do uso da tecnologia – desde o planejamento, passando pela educação dos árbitros e visitas técnicas, até a supervisão da execução da ferramenta in loco – membros do IFAB contribuíram para a implantação do VAR no país, ressaltaram o pioneirismo brasileiro à frente do protocolo e parabenizaram o futebol brasileiro pelos avanços conquistados em 2018.

RAP-FIFA

A Comissão Nacional de Arbitragem, dedicada no desenvolvimento constante da arbitragem brasileira, foram realizados cursos RAP-FIFA que, como o nome sugere, são chancelados pela instituição máxima do futebol mundial e atestam o rendimento físico dos profissionais de elite da arbitragem através de uma bateria de provas e atividades. Em 2018, os selecionados para o programa preparatório tiveram desempenho acima da curva, com 100% de aprovação entre os participantes

Além do planejamento voltado especificamente para o quadro nacional de árbitros e assistentes, a Comissão de Arbitragem promoveu cursos RAP-FIFA voltados para a formação de instrutores técnicos e físicos. O objetivo é qualificar ainda mais os responsáveis pela formação e renovação da arbitragem brasileira, além de contar com um quadro competente de profissionais dedicados à manutenção física, teórica e psicológica da elite da arbitragem do Brasil. 

PRABs

Compromissada com o futuro da arbitragem nacional, a Comissão de Arbitragem da CBF promove o Programa de Renovação da Arbitragem Brasileira (PRAB), um protocolo de treinamentos e atividades direcionado à revelação de novos valores para o quadro de árbitros do futebol brasileiro. Apoiado nos três pilares fundamentais na formação qualificada de profissionais da arbitragem – físico, teórico e mental –, a Comissão de Arbitragem, junto à ENAF, monitoram o desempenho dos jovens árbitros e assistentes pelo Brasil e selecionam os principais destaques para integrar os PRABs. Assim, torna o trabalho de prospecção e desenvolvimento de novos nomes para renovar a composição do quadro de arbitragem da CBF.

Arbitragem brasileira em competições internacionais

A arbitragem brasileira foi representada em diversas competições internacionais ao longo de 2018. Uma mostra do trabalho de excelência executado para formar, desenvolver e manter os parâmetros necessários para uma arbitragem de alto nível em escala mundial, a CBF cedeu equipes de árbitros às principais competições do calendário do futebol em 2018. 

Na Copa do Mundo FIFA Rússia 2018, o Brasil contou com quatro representantes: o árbitro Sandro Meira Ricci, os assistentes Emerson Augusto de Carvalho e Marcelo Van Gasse, além de Wilton Pereira Sampaio, árbitro do quadro da CBF que foi ao Mundial como Árbitro Assistente de Vídeo (VAR). Outro destaque marcou a Copa do Mundo Feminina Sub-20 FIFA França 2018. A árbitra Edina Alves Batista e as assistentes Neuza Back e Tatiane Sacilotti representaram a arbitragem brasileira em mais uma competição FIFA. O trio, inclusive, já está confirmado para a Copa do Mundo Feminina França 2019.

 

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/arbitragem-veja-o-balanco-da-temporada-2018

Asesores de Árbitros

Curso para Asesores de Árbitros de la CONMEBOL

PreviousNext

“El arbitraje sudamericano ha demostrado al mundo que es el mejor”, enfatizó el presidente de la CONMEBOL, Alejandro Domínguez, en la apertura del curso, que reúne a todos los Asesores Arbitrales de la CONMEBOL, de las 10 Asociaciones Miembro.

“Considero que el arbitraje sudamericano ha tenido un avance significativo. Ha demostrado al mundo que es el mejor. Esto no lo digo solo por la designación en la final del Mundial, sino por otras designaciones importantes”, apuntó igualmente Domínguez.

“Estas conquistas pueden tener un doble sentido, porque es satisfactorio haber llegado a estos partidos. Pero la conquista más desafiante y más importante será seguir en esta línea de excelencia y superarla”, añadió el titular de la CONMEBOL.

El seminario, que es organizado por la Comisión de Arbitraje, con el apoyo de la Dirección de Desarrollo CONMEBOL, servirá de capacitación para los nuevos asesores en la función internacional de arbitraje: Enrique Cáceres (PAR) Wilson Lamouroux (COL), Mauricio Espinosa (URU) Carlos Pastorino (URU) Gustavo Rossi (ARG), Carlos Astrosa (CHI) Jorge Osorio (CHI) y  Patricio Polic (CHI).

También, otra de las metas del curso es desarrollar los aspectos técnicos para el acompañamiento del asesor de árbitros durante los partidos de CONMEBOL.

“Quiero que tengan esa convicción, esa fortaleza para seguir siendo las y los mejores, que es lo que finalmente va terminar marcando la diferencia, en un mundo que se va actualizando”, alentó el presidente Domínguez.

“No se olviden que somos la Confederación pionera en hacer mayor justica dentro del campo de juego, con la utilización del Sistema de Video Arbitraje Asistente (VAR). Un herramienta más para hacer justicia, no escatimamos en gastos, porque buscamos siempre las reglas claras”, destacó finalmente.

 

 

Melhores de 2018

Trio de arbitragem premiado: Claus, Manis e Gil vencedores

Integrantes do quadro da FIFA, o árbitro e assistente da Federação Paulista e o assistente da Catarinense foram os melhores avaliados no Brasileirão 2018

Danilo Manis, Raphael Claus e Kléber Lúcio Gil

Créditos: Lucas Figueiredo/CBF

A Comissão de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol, em sua constante inciativa de desenvolvimento e aperfeiçoamento do quadro nacional de árbitros, projetou o sistema RADAR – relatório de análise e desempenho da arbitragem. A partir deste sistema, a entidade foi capaz de avaliar a performance da arbitragem em todas as partidas do Brasileirão 2018 de uma maneira mais analítica e científica, produzindo dados objetivos. Ao final do estudo, o árbitro Raphael Claus (SP/FIFA) e os assistentes Danilo Ricardo Simón Manis (SP/FIFA) e Kléber Lúcio Gil (SC/FIFA) formaram o trio mais bem avaliado.

— Foi um ano bom, eu acho que a gente passou ileso, tanto eu quanto minha equipe toda, meu sexteto. E também não só na Série A, tivemos jogos importantes na Série B, na Série C e na Série D, onde a gente pode ter o privilégio de trabalhar nas quartas de final, que definiram os acessos . Então acho que foi um saldo muito positivo, a gente conseguiu legitimar todos os resultados e sair com a consciência tranquila – disse o árbitro Raphael Claus.

Os profissionais da arbitragem foram observados em atividade por analistas de campo e vídeo. Todos os integrantes do quadro nacional de arbitragem foram treinados pela Escola Nacional de Arbitragem de Futebol (ENAF) para utilizar o sistema oferecido pela CBF. A proposta deste método de análise se alinha à realidade da arbitragem de destacar de maneira objetiva os lances e incidentes marcados nas partidas sem abandonar a importância do “fator campo”. Após compiladas as avaliações presenciais e em vídeo, o dossiê é a trabalhado pela Comissão de Arbitragem que, em parceria com a ENAF, produz um terceiro relatório para chegar ao resultado oficial.

Critérios como a marcação de infrações faltosas, impedimentos e cartões são alguns dos componentes tratados pelo sistema RADAR e variáveis determinantes para a definição do resultado final. Somam-se a isso avaliações do aspecto comportamental da arbitragem perante os jogadores e quanto à conjuntura envolvida no confronto. Através de uma sistemática análise de erros e acertos, a ferramenta produz uma mensuração abrangente de todo o pilar técnico da arbitragem brasileira.

ASPAS

Para determinar o trio de arbitragem premiado foram levados ainda critérios específicos como: número de partidas, média de escalas, interferência em jogos e número de vezes entre os melhores do ranking por rodada. Confira o número dos premiados nesta temporada.

Melhores do Brasileirão 2018  Número de escalações   Presença no ranking da rodada*  Valor da premiação
Árbitro: Raphael Claus (SP/FIFA)  23 jogos  14 vezes entre as três melhores equipes  R$ 200.000
Assistente: Danilo Ricardo Simón Manis (SP/FIFA)  27 jogos  16 vezes entre as três melhores equipes  R$ 100.000
Assistente: Kléber Lúcio Gil (SC/FIFA)  18 jogos  8 vezes entre as três melhores equipes  R$ 100.000

O Prêmio Brasileirão é a cerimônia de entrega de troféus aos melhores do campeonato. No masculino, a eleição online é realizada com cerca de 10 mil profissionais de imprensa, capitães e treinadores dos 20 clubes, além de jogadores e comissão técnica da Seleção Brasileira. São 11 troféus para os atletas mais votados por posição, melhor técnico, artilheiro, revelação, craque do Brasileirão, craque da galera (escolha pelo Globoesporte.com), gol mais bonito (apontado pelos torcedores pelo Facebook da CBF), fair play, melhor árbitro e dois assistentes.

Neste ano, o Brasileiro Feminino A-1 também premiará as 11 jogadoras do time ideal, melhor treinador ou treinadora, artilheira, craque, revelação e fair play. Também está prevista a categoria Não é Só Futebol, que será destinada a uma atitude que transcende o campo de jogo, e uma grande homenagem da noite a um ídolo do futebol.

 

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/trio-de-arbitragem-premiado-claus-manis-e-gil-vencedores