Familiarização VAR

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/arbitros-passam-por-familiarizacao-com-protocolo-e-ferramenta-do-var

Árbitros passam por familiarização com protocolo e ferramenta do VAR

Alunos da segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 fizeram atividades sobre comunicação, aprenderam sobre a ferramenta e simularam uso do VAR no campo

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 - Águas de Lindóia (SP)

Segunda turma do Curso de Capacitação do VAR 2019 – Águas de Lindóia (SP)

Créditos: Daniel Guimarães / CBF

O segundo dia de atividades da Turma II do Curso de Capacitação de Árbitro de Vídeo 2019 foi bastante didático. As ações desta quinta-feira (28) seguiram firmes com a teoria, mas os participantes também saíram da sala de aula e tiveram uma simulação de operação do VAR no campo e uma aula sobre o funcionamento da ferramenta na cabine de operação (VOR).

Os instrutores passaram a cartilha da comunicação, algo que é considerado por todos fundamental para o bom funcionamento do VAR. Os árbitros e assistentes aprenderam como usar o rádio de comunicação, quais palavras devem ser utilizadas na conversa entre campo e cabine e quais termos não podem usar.

– Assim como na vida, o processo do VAR tem uma peça fundamental: a comunicação. Do árbitro com VAR, do VAR com seu operador, do operador com o VAR, do AVAR com o VAR… E é fundamental, pois o sistema pode estar funcionando, mas se a comunicação estiver com problema, estará fadado ao fracasso. Por isso temos este treinamento específico. Alguns acidentes aconteceram por falta de comunicação. E não pode acontecer uma falta de comunicação neste sistema porque o jogo pode ser reiniciado e uma jogada acabar sendo perdida, por exemplo – declarou o instrutor Nilson Monção.

No segundo momento, os árbitros foram até a sala do VOR para entenderem como o funcionam os monitores, o plano de câmeras e tudo envolvendo a tecnologia da ferramenta. O gerente de treinamento do VAR da Hawk Eye, Giovanni Roberto Compagno, foi quem apresentou e tirou todas as dúvidas dos participantes da turma.

– Quando você passa por um processo de familiarização antes de colocar a mão na massa, a importância disso é que quando você for operar a tendência é que não seja pego de surpresa. Claro que é uma novidade e exige um processo de adaptação, mas um fato novo não vai te surpreender mais, pois você terá uma noção de como funciona – declarou o árbitro sergipano Cláudio Francisco Lima e Silva.

Os árbitros e assistentes saíram um pouco da sala de aula e foram até o campo principal do Eco Resort Oscar Inn, em Águas de Lindóia (SP). Eles tiveram uma aula com a instrutora Ana Paula de Oliveira sobre gestual e protocolo do VAR no gramado.

– Estamos ensinado e em seguida vamos lapidar. Ajustar os detalhes, como a comunicação, o trabalho em equipe com o operador… Temos de seguir trabalhando. A vida do árbitro é um constante aprendizado, uma constante evolução diária – acrescentou a instrutora.

As atividades seguem nesta noite, com vídeos e slides na sala de aula, e a parte prática será iniciada nesta sexta-feira (29). Os 32 árbitros e assistentes se revezaram em campo e sala do VOR para treinar o uso da ferramenta do árbitro de vídeo.

VAR na cabeça: como a ferramenta mexe com o psicológico dos árbitros

Comissão de Arbitragem inicia 2ª turma do Curso de Capacitação do VAR 2019

Psicológico do VAR

VAR na cabeça: como a ferramenta mexe com o psicológico dos árbitros

Psicóloga da CBF, Marta Magalhães monta série de atividades e explica como a tecnologia influi no dia a dia dos árbitros

Marta Magalhães, psicóloga da Comissão de Arbitragem da CBF.

Créditos: Daniel Guimarães/CBF

Engana-se quem pensa que o acompanhamento ao trabalho dos árbitros é apenas dentro de campo. A Comissão de Arbitragem da CBF conta com o trabalho da psicóloga Marta Magalhães, que ajuda e muito os integrantes de seu quadro em outra área: a mente. Há quase 12 anos na função pela Confederação Brasileira de Futebol, a profissional agora avalia os impactos trazidos pela chegada do árbitro de vídeo (VAR) no dia a dia dos árbitros.

A psicóloga elaborou uma série de atividades especiais para os árbitros ao longo de mais um curso de capacitação da ferramenta no Eco Resort Oscar Inn, em Águas de Lindóia (SP). Inventário de estresse e avaliação de resiliência são alguns dos testes a que estão sendo submetidos, além do monitoramento da frequência cardíaca quando exercem a função de árbitro de vídeo (VAR) e assistente de árbitro de vídeo (AVAR) na sala de operação de vídeo (VOR). Marta Magalhães explica no que consiste cada uma destas avaliações.

– Temos estes quatro elementos: inventário de estresse, resiliência, tempo de reação e variabilidade cardíaca. Iniciamos com inventário de estresse para as últimas 24 horas, no último mês e último trimestre. A partir daí nós entendemos como é que este árbitro está e como é que ele se encontra naquela semana e naquele dia. Depois partimos para uma avaliação psicométrica de resiliência para ver como é que ele se ajusta nos momentos de adversidade. Na sequência colocamos uma cinta neles para monitorar o batimento cardíaco frente aos lances e ao protocolo. Verificamos o tempo de reação para que ele faça a checagem e peça para o árbitro fazer a revisão – destacou.

A primeira experiência do VAR no futebol brasileiro foi no ano passado, a partir das quartas de final da Copa do Brasil. Após um ótimo desempenho e mais uma série de treinos, a ferramenta será utilizada em todos os 380 jogos do Campeonato Brasileiro 2019, com início marcado para o final de semana dos dias 27 e 28 de abril. Para Marta Magalhães, a novidade na competição só motiva os árbitros.

– Acho que eles estão muito entusiasmados com a ferramenta. O VAR causa neles uma grande vontade de estar ali e acertar todos os lances. Eles estão com muita vontade de fazer o trabalho da melhor forma possível – acrescentou.

 

https://wordpress.com/post/scorrea.org/3793

12ª turma VAR

Comissão de Arbitragem inicia 12ª turma do Curso de Capacitação do VAR 2019

Formado em sua maioria por árbitros e assistentes que nunca tiveram contato com a ferramenta, grupo faz atividades em imersão pelos próximos nove dias

Curso de capacitação de árbitro de vídeo em Águas de Lindóia (SP)

Curso de capacitação de árbitro de vídeo em Águas de Lindóia (SP)

Créditos: CBF

Curso de capacitação de árbitro de vídeo em Águas de Lindóia (SP)

Curso de capacitação de árbitro de vídeo em Águas de Lindóia (SP) / Créditos: CBF

A segunda turma do Curso de Capacitação para Árbitros Assistentes de Vídeo, Operadores e Instrutores do ano de 2019 iniciou as atividades de imersão na tarde desta quarta-feira (27). No Eco Resort Oscar Inn, em Águas de Lindóia (SP), 32 árbitros e assistentes, além de 24 instrutores, começaram os trabalhos na sala de aula. Formado em sua maioria por participantes que nunca tiveram contato com o VAR, o grupo recebeu um material com todo o protocolo da ferramenta, passa por avaliações escritas e acompanha slides e vídeos.

A vontade de aprender é grande. Isto fica evidenciado durante as atividades teóricas, quando os participantes pedem a palavra e elucidam dúvidas com os instrutores. A programação prevê uma rotina pesada, com atividades em três e até quatro turnos em alguns dias. O assistente mineiro Sidmar Meurer, um dos “novatos” com o árbitro de vídeo, ressalta a grande oportunidade em participar do que considera um momento histórico.

– Este está sendo o meu primeiro contato com o VAR. Mas temos acompanhado o esforço que a CBF, através da Comissão de Arbitragem, tem feito para instituir esta tecnologia no nosso futebol. E o sentimento que fica é de privilégio por poder acompanhar, fazer o curso, ter este contato mais de perto com a tecnologia. Espero que nestes dias possamos viver intensamente a tecnologia para aprender a ter o auxílio da ferramenta – destacou.

A falta de contato não causa problema para os árbitros participantes. O que poderia ser um medo por conta da novidade é transformado em motivação. O gerente de projetos da CBF, Gustavo Barbosa, faz um balanço sobre o momento da ferramenta no Brasil e dá o seu parecer sobre a turma atual.

– O VAR tornou-se um projeto grandioso no Brasil, mais de 400 jogos, contando Brasileirão e Copa do Brasil. Temos uma grande estrutura, condizente com o crescimento do VAR no mundo inteiro. Vai ser uma semana muito intensa, de muito conteúdo, e vai exigir muito foco. Um ponto importante é atenção aos detalhes, porque isso vai fazer a diferença. E vejo nos rostos de todos os participantes muita motivação – afirmou.

Esta etapa do curso conta com a supervisão de um representante da FIFA, o ex-árbitro paraguaio Henrique Cáceres. As atividades seguem nesta quinta-feira (28) com mais um dia de trabalhos teóricos. A programação prevê que os árbitros e assistentes desçam para o gramado e atuem na sala de operação do árbitro de vídeo (VOR) na sexta (29).

 

https://www.cbf.com.br/a-cbf/informes/arbitragem/comissao-de-arbitragem-inicia-2a-turma-do-curso-de-capacitacao-do-var

CBF se estabelece…

… como pioneira por trás do uso do VAR

Tecnologia será implementada na Série A do Brasileirão 2019. Projeto foi elaborado pelo brasileiro Manoel Serapião e teve apoio da CBF em nível global

Bastidores das reuniões e detalhes do trabalho da arbitragem na partida, realizada na Arena Corinthians, em 26 de setembro de 2018

Créditos: Fernando Torres / CBF

Nesta sexta-feira (22), o futebol brasileiro escreveu mais uma página marcante em sua história. Na sede da CBF, durante a realização do Conselho Técnico da Série A, foi aprovado o uso do sistema de árbitro de vídeo (VAR, na sigla original em inglês) no Campeonato Brasileiro, introduzindo a novidade à elite do esporte nacional.

A história da implementação do VAR no futebol é diretamente conectada à atuação da CBF. Afinal, o texto do protocolo do uso do árbitro de vídeo foi escrito e enviado pela Comissão de Arbitragem da CBF, colocando a entidade como pioneira na defesa de melhores condições aos árbitros.

Brasileiro e CBF são peças-chave para uso do VAR pelo mundo

É fato que a tecnologia se faz cada dia mais presente no mundo do futebol. Todavia, antes que o uso do VAR chegasse de fato aos gramados, coube à CBF assumir o protagonismo em defesa do uso do recurso. Tido como o principal incentivador da tecnologia no futebol, o brasileiro Manoel Serapião foi o autor do projeto base aceito pela International Football Association Board (IFAB) referente ao VAR. A CBF, por sua vez, assumiu a vanguarda e foi a primeira entidade a provocar a implementação da tecnologia.

Em setembro de 2015, a CBF enviou a base das diretrizes do protocolo posteriormente aceito pela IFAB. Alguns meses depois, em março de 2016, as decisões do Campeonato Carioca entre Botafogo e Vasco já tiveram um treinamento offline da tecnologia.

– Foi o Brasil o país que iniciou todo esse movimento para a utilização do árbitro de vídeo, de ajuda tecnológica para a arbitragem. Nós participamos desde a origem. A CBF conquistou essa marca que não nos tiram e que temos que comemorar. Eu me sinto muito feliz por participar de tudo isso. Não apenas pessoalmente, mas principalmente por estar contribuindo para o desenvolvimento do futebol – disse Manoel Serapião, à reportagem da CBF, durante a realização do 2º Curso de Capacitação Árbitro Assistente de Vídeo, em julho de 2018.


Uso nos estaduais

A nível regional, o VAR foi utilizado pela primeira vez na final do Campeonato Pernambucano de 2017 entre Salgueiro e Sport. Um dos principais personagens dessa história foi o árbitro Péricles Bassols, que analisou as imagens na cabine ao lado de Manoel Serapião FIlho e Alício Pena Júnior. Na partida de ida, a tecnologia auxiliou na marcação correta de um pênalti para o Salgueiro. Já na volta, o VAR foi decisivo para a anulação de um gol salgueirense.

Além disso, a tecnologia já esteve presente em um Gre-Nal no Campeonato Gaúcho e a decisão do Campeonato Catarinense.


Estreia em partidas da CBF

A primeira utilização do VAR em uma competição da CBF aconteceu nas quartas de final da Copa do Brasil de 2018, no duelo entre Santos e Cruzeiro. O lance analisado em questão foi um possível pênalti de Lucas Romero no atacante Gabriel.

O árbitro Wilton Pereira Sampaio esteve em contato com a cabine, retomando o andamento da partida após 27 segundos de paralisação. Como nenhuma irregularidade no lance foi detectada, o juiz sequer teve que se deslocar ao posto do vídeo.

A filosofia do VAR

Vale lembrar que o uso do árbitro de vídeo tem como lema “interferência mínima, benefício máximo”. A utilização da tecnologia visa diminuir erros claros nas seguintes situações:

– Gol / Não gol
– Penalidade/Sem penalidade
– Cartão vermelho direto
– Identificação equivocada

Transição de carreira para o VAR…

Experiência e tecnologia: árbitros trabalham em transição para o VAR

Mais experientes da Turma 12 do Curso do VAR, Heber Roberto Lopes e André Castro comentam a transição do campo para o árbitro de vídeo

IV Curso de Capacitação do VAR

Créditos: Matheus Meyohas/CBF

Existem poucas coisas que Heber Roberto Lopes ainda não viu dentro de um campo de futebol. Árbitro mais experiente do quadro da CBF, já apitou 338 jogos da Série A do Campeonato Brasileiro. E agora se prepara para mais uma novidade: o árbitro de vídeo (VAR). Do alto de seus 46 anos, o paranaense vê no VAR uma alternativa para continuar contribuindo com sua experiência, mesmo que um dia chegue a hora de “pendurar o apito”.

— É uma maneira de você continuar trabalhando. Até pela parte física, os mais experientes podem não ter êxito na prova física. Trabalhando exclusivamente com o árbitro de vídeo, ele terá a possibilidade de passar a experiência, trabalhando com árbitros mais jovens. E também desenvolver essa nova ferramenta — disse.

Quem também tem muito tempo de estrada é o árbitro André Castro. De outra geração, o goiano ressaltou a importância da integração entre diferentes gerações de arbitragem, para facilitar o resultado final dentro de campo.

— Em 15, 20 anos, trabalhamos de uma forma. De uma hora para outra, temos que trocar o chip e se adaptar. Para nós da arbitragem, principalmente quem tem a idade mais avançada, é mais uma opção que nós temos para ajudar a trabalhar dentro do campo de jogo — destacou.

E quem já viu tanta coisa dentro de campo vai ganhar um amigo e tanto a partir deste ano. Ou melhor, vários amigos, com ângulos e visões diferentes, para ajudar na tomada de decisão. A pressão continua, mas o método de trabalho mudou bastante, desde que os mais veteranos começaram a apitar até os dias de hoje.

O número de jogos de Heber Roberto Lopes na primeira divisão já seriam impressionantes por si só. Mas um recorde está ao alcance do árbitro: se for escalado para mais 12 partidas do Brasileirão, igualará a marca histórica de Arnaldo Cezar Coelho, que arbitrou 350 jogos na Série A do Campeonato Brasileiro (mais do que qualquer outro).

Durante as conversas com o mais jovens, Heber Roberto Lopes conta histórias que deixam vários de olhos arregalados, de um tempo que a arbitragem não tinha rádio entre a equipe ou bandeira eletrônica. Quem dirá o VAR. Mas a modernização traz cada vez mais renovações, para minimizar o erro e dar mais justiça ao jogo.

Na própria estrutura do VAR, já é possível identificar a atuação de ex-árbitros de campo na supervisão, como os trabalhos de Alício Pena Júnior, Manoel Serapião e Nilson Monção. De uma forma ou de outra, a arbitragem brasileira só tem a agradecer pela experiência desses e de tantos árbitros, por um futebol melhor e mais justo. Agora, com a chegada do VAR, esse caminho tende a ficar ainda mais simples.

Árbitros vão a campo…

…em atividade prática de IV Curso do VAR

Após apresentação, árbitros fazem atividades práticas com uso da tecnologia em Águas de Lindoia

O segundo dia do quarto Curso de Capacitação para VAR foi de atividades práticas em Águas de Lindoia. Com uma série de amistosos entre diferentes categorias de Ponte Preta e Brasilis, os alunos do curso de aperfeiçoamento foram ao campo e às cabines para botar em prática o que aprenderam até aqui.

Os árbitros e assistentes foram separados em dois grupos. Metade trabalhou com a arbitragem de campo, e a outra metade ficou responsável pelo árbitro de vídeo, simulando o que será feito nas 380 partidas do Brasileirão 2019. As intervenções do árbitro de vídeo participaram de decisões importantes durante os amistosos, como marcação de pênalti, validação ou não de gols e identificação de penalizações.

As atividades práticas se estenderam durante todo o dia nos campos de treinamento de Águas de Lindoia. Além disso, os árbitros passaram por aulas teóricas para reforçar pontos importantes no uso do árbitro de vídeo, como a comunicação, o respeito e a sintonia entre todos os envolvidos durante o processo do VAR.

Os amistosos seguem nesta quarta-feira, com uma nova rodada de testes online e off-line para o árbitro de vídeo.

MAIS SOBRE O VAR NO BRASILEIRÃO:

VAR no Brasileirão: Programação do IV Curso de Capacitação

Treinador da Hawk Eye disseca sistema do VAR para árbitros em curso

Árbitro de Vídeo é novidade no Brasileirão Série A 2019 

IV Curso de Capacitação do VARIV Curso de Capacitação do VAR
Créditos: Matheus Meyohas/CBF

VAR no Brasileirão

Programação do IV Curso de Capacitação

Confira a programação do IV Curso de Capacitação para uso do VAR, com foco especial no Brasileirão

IV Curso de Capacitação do VAR

Créditos: Matheus Meyohas/CBF

Nesta segunda-feira, a Comissão de Arbitragem da CBF deu início ao IV Curso de Capacitação para o VAR, em Águas de Lindoia. O treinamento tem como objetivo aprimorar o uso da tecnologia nos jogos do Brasileirão 2019, que terão o árbitro de vídeo à disposição.

Ao todo, são 96 alunos (48 árbitros e 48 assistentes) separados em três turmas diferentes. A Turma 12 começou as atividades nesta semana, e ficará no Oscar Inn Resort, no interior paulista, até o próximo dia 26. Os alunos já passaram por treinamentos do árbitro de vídeo, e estão fazendo o curso para se aperfeiçoar ou completar os requisitos do IFAB.

As atividades do Curso, que se dividem entre aulas teóricas, palestras e simulações práticas, vão até o dia 15 de abril, com o fim da Turma 14.

Programação do IV Curso de Capacitação para VAR

TURMA 12

Árbitros:

André Castro (GO)
Caio Max (RN)
Daniel Bins (RS)
Douglas Flores (SP)
Eduardo Tomaz Valadão (GO)
Grazianni Maciel Rocha (RJ)
Heber Roberto Lopes (SC)
Igor Junio Benevenuto (MG)
Lucas Bellote (SP)
Pathrice Maia (RJ)
Paulo Roberto Alves Júnior (PR)
Rodrigo Batista Raposo (DF)
Rodrigo Carvalhaes (RJ)
Rodrigo D’Alonso Ferreira (SC)
Salim Chaves (SP)

Assistentes:

Bruno Rizo (SP)
Carlos Henrique de Souza (RJ)
Celso Luiz da Silva (MG)
Ciro Junqueira (DF)
Daniel Luis Marques (SP)
Eduardo da Cruz (MS)
Evandro de Melo Lima (SP)
Fabiano Ramires (ES)
Felipe Alan Costa de Oliveira (MG)
Helcio Araujo Neves (PA)
José Eduardo Calza (RS)
Leone Rocha (GO)
Michael Correia (RJ)
Oberto da Silva Santos (PB)
Silbert Sisquim (RJ)

18/3
Chegada e apresentação do protocolo

19/3 a 26/3
Atividades práticas

TURMA 13

Árbitros:

Adriano Milczvski (PR)
Antonio Dib Moraes (PI)
Christiano Nascimento (DF)
Cláudio Francisco Lima e Silva (SE)
Diego Lopez (BA)
Dyorgines Padovani (ES)
Elmo Alves Resende Cunha (GO)
Emerson de Almeida Ferreira (MG)
Gilberto Rodrigues Júnior (PE)
Jonathan Benkenstein (RS)
José Cláudio Rocha Filho (SP)
Jefferson de Morais (GO)
Marcio Henrique de Gois (SP)
Pablo Ramon Gonçalves (RN)
Ronei Candido Alves (MG)
Savio Pereira Sampaio (DF)

Assistentes:

Jucimar dos Santos Dias (BA)
Nailton Junior de Sousa (CE)
Leila Moreira da Cruz (DF)
Daiane Caroline Muniz (MS)
Johnny Barros de Oliveira (SC)
Edson de Sousa (GO)
Sidmar dos Santos Meurer (MG)
Michael Stanislau (RS)
Francisco Chaves Bezerra (PE)
Fabio Rodrigo Rubinho (MT)
Jefferson Piva da Silva (PR)
Jean Marcio dos Santos (RN)
Jorge Eduardo Bernardi (RS)
Fábio Pereira (TO)
Luiz Alberto Nogueira (SP)
Alex dos Santos (SC)

27/3
Chegada e apresentação do protocolo

28/3
Fase teórica

29/3 a 5/4
Atividades práticas

TURMA 14

Árbitros:

Adriano Barros Carneiro (CE)
Alisson Sidnei Furtado (PE)
André da Silva Bittencourt (RS)
Andrey da Silva e Silva (PA)
Felipe Gomes da Silva (PR)
Flávio Rodrigues Souza (SP)
Leandro Bizzio (SP)
Lucas Torezin (PR)
Marco Aurelio Ferreira (MG)
Paulo Henrique de Melo (MS)
Rafael Diniz (DF)
Ricarle Gustavo Batista (BA)
Tiago Nascimento dos Santos (PE)
Vinicius Furlan (SP)
Wanderson Alves de Souza (MG)
William Machado Steffen (SC)

Assistentes:

Daniel da Silva Andrade (DF)
Diogo Carvalho Silva (RJ)
Esdras Mariano de Lima (AL)
Fábio Rogério Baesteiro (SP)
Hugo Sávio Xavier (GO)
Márcio Gleidson Correia (PA)
Marcus Vinicius Gomes (MG)
Maurício Coelho Silva (RS)
Paulo de Tarso Bregalda (BA)
Rafael Trombeta (PR)
Ricardo Bezerra Chianca (PE)
Thiago Gomes Magalhães (RJ)
Thiago Americano Labes (SC)
Vanderson Antonio Zanoti (ES)
Vinicius Gomes do Amaral (RS)
Vinicius Melo de Lima (RN)

6/4
Chegada e apresentaçãoo do protocolo

7/4
Fase teórica

8/4 a 15/4
Atividades práticas

Sistema do VAR…

Treinador da Hawk Eye disseca sistema do VAR para árbitros em curso

Gerente de treinamento de VAR da Hawk Eye, Giovanni Roberto Compagno se apresentou para os alunos do IV Curso de Capacitação do VAR, em Águas de Lindoia

Giovanni Roberto Compagno, gerente de treinamento do VAR da Hawk Eye, durante apresentação no Curso da CBF

Créditos: Matheus Meyohas/CBF

O primeiro dia do quarto Curso de Capacitação do VAR, em Águas de Lindoia, teve direito a uma apresentação internacional. Gerente de treinamento do VAR da Hawk Eye, o italiano Giovanni Roberto Compagno explicou para os árbitros um pouco do sistema que será usado no Brasileirão.

Durante sua apresentação, Campagno falou sobre as diferenças do sistema utilizado durante a Copa do Mundo e o que deve ser utilizado no Brasileirão. O italiano ainda tirou dúvidas dos árbitros presentes, que serão os grandes protagonistas da chegada do árbitro de vídeo no Campeonato Brasileiro.

Roberto Campagno tem experiência de mais de 100 jogos atuando como primeiro operador do VAR, e trabalhou nessa função durante a Copa do Mundo. Foram 20 partidas no Mundial da Rússia, em 2018, inclusive o duelo entre Brasil e México, pelas oitavas de final.

Sobre a Haw Eye 

A Hawk Eye foi a empresa responsável pela utilização do VAR na Copa do Mundo, que foi considerada um case de sucesso pela FIFA. De acordo com o presidente da entidade máxima do futebol, Gianni Infantino, o índice de acertos com o VAR ficou acima de 99%. Mais do que isso, os erros claros, prejudiciais para o resultado, estão cada vez mais raros.

Além do Brasileirão, a empresa está presente em outros países considerados potências do futebol internacional. A Bundesliga, da Alemanha, e a Série A, da Itália, por exemplo, adotaram o árbitro de vídeo com o uso da tecnologia da empresa. Presente em mais de 26 competições diferentes, a empresa presta serviço em pelo menos um país de cada continente do globo.

IV Capacitação para VAR

CBF inicia mais uma atividade…

Em Águas de Lindoia, árbitros e assistentes começam o curso de preparação para o Brasileirão de 2019, que terá VAR em todos os jogos

O apito inicial já foi dado! Em Águas de Lindoia, a Comissão de Arbitragem da CBF deu início ao quarto Curso de Capacitação para Árbitros Assistentes de Vídeo, Operadores e Instrutores. As aulas servem como preparação para o árbitro de vídeo do Brasileirão 2019, que fará uso da tecnologia em todos os jogos. A primeira turma, que começou as aulas nesta segunda-feira (18), reúne ao todo 32 alunos, com 16 árbitros e 16 assistentes de vídeo.

As atividades foram abertas com uma retrospectiva do uso do VAR nos dois últimos anos, tanto no Brasil como ao redor do mundo. Foram ressaltadas as necessidades de comunicação com os jogadores e os torcedores. Também foram frisados alguns dos principais conceitos do árbitro de vídeo: a correção sobre o tempo, o ângulo sobre o posicionamento, e a interferência mínima para o benefício máximo, eliminando os erros claros.

Essa é a primeira das três turmas que passarão por esse trabalho de capacitação nas próximas semanas. Todos os árbitros e assistentes participantes do curso já receberam aulas para a atuação como árbitro de vídeo. Para alguns, o curso serve como reforço, para outros, para completar o protocolo da IFAB. As atividades pré-Brasileirão servem como reforço para encarar um enorme desafio para a arbitragem brasileira: serão 380 jogos ao longo do campeonato.

Confira quem são os integrantes da primeira turma da IV Capacitação para Árbitros Assistentes de Vídeo, Operadores e Instrutores, que se estenderá até o próximo dia 26.

Árbitros de vídeo (VAR)

Lucas Belotte (SP)
Paulo Roberto Alves (PR)
Salim Chavez (SP)
Grazianni Rocha (RJ)
Thiago Peixoto (SP)
Igor Benevenuto (MG)
Douglas Flores (SP)
Rodrigo Ferreira (SC)
Daniel Bins (RS)
Heber Roberto Lopes (SC)
Pathrice Maia (RJ)
Caio Vieira (RN)
André Castro (GO)
Rodrigo Raposo (DF)
Rodrigo Miranda (RJ)
Thomaz Valadão (GO)

Árbitro de vídeo assistentes (AVAR)

Daniel Ziolli (SP)
Silbert Sisquim (RJ)
Daniel Marques (SP)
Felipe Oliveira (MG)
Bruno Rizo (SP)
Celso Silva (MG)
Evandro Lima (SP)
Helcio Neves (PA)
José Calza (RS)
Eduardo Cruz (MS)
Michael Correia (RJ)
Oberto Santos (PB)
Fabiano Ramires (ES)
Ciro Junqueira (DF)
Carlos Souza (RJ)
Leone Rocha (GO)