Entrevista – 27/02/13

Entrevista com Aristeu Leonardo Tavares – Ex-presidente da comissão de arbitragem da CBF

qua, 27/02/13 – por Gaciba

Confira a entrevista cedida com exclusividade para o blog de Aristeu Leonardo Tavares no dia de hoje. Ele nega denúncias contra árbitros, fala do stress da função, o peso da família em sua decisão e sobre o retorno para a área de instrução.

Aristeu regressa para sua grande paixão: Instrução

1.       Em primeiro lugar, como se deu o processo de sua demissão? Pelo relato oficial da entidade foi um pedido que partiu de você. Essa informação é correta?

Sim. Na verdade ao assumir no dia 22 de agosto passado, eu não vivia um momento confortável, pois meu pai, esteio da minha família havia falecido a menos de duas semanas, porém pesou o compromisso com a arbitragem de retribuir minimamente o que me concedeu em realizações e alegrias por mais de vinte anos.

Foi um período complicado tendo em vista o momento delicado da competição nacional. Procuramos conduzir para os sorteios árbitros experientes mesclados com jovens valores e isto deu certo e tivemos as quatro series terminando sem contestações.

Ontem então em conversa com o Presidente Marin e com o Vice Executivo Marco Polo Del Nero solicitei meu afastamento visando ter mais tempo para a família, surgindo então o convite para ser Diretor Adjunto da ENAF coordenando com o Salvio os demais instrutores estaduais no pilar técnico.

2.       A entrevista para o jornal Goiano foi “O MOTIVO” ou um dos motivos de sua decisão?

Na verdade foi um somatório de pequenas questões, porém com toda a certeza após ter passado para a inatividade na Policia Militar do Estado do Rio de Janeiro foi a falta de tempo por conta das inúmeras atribuições inerentes ao cargo de Presidente da CA para “curtir” um pouco mais a família, que em todos estes anos tendo em vista minhas obrigações de Comandante, Chefe ou Diretor, pois comandei na PMERJ desde Major, fato raro na Corporação, somadas as arbitro e da FIFA por dez anos me afastaram de aniversários, casamentos, batizados e outros encontros sociais. Na verdade muitos de nos não vemos nossos filhos crescerem e isto agora deve ser remediado.

Agora continuarei trabalhando junto a arbitragem naquilo que mais gosto: ministrar instruções e poder dividir meu tempo melhor.

3.       O texto publicado tem afirmações fortes inclusive citações suas de denúncias de corrupção de árbitros partindo de seus próprios companheiros. Existem tais denúncias? Se afirmativo, por qual motivo a corregedoria da CBF não tinha conhecimento destas denúncias?

Quero esclarecer que não há qualquer denuncia enviada com fatos que possam trazer a tona desconfiança de quem quer que seja.

Os árbitros da relação nacional são pessoas integras e corretas.

Com toda a certeza até pela formação de mais de trinta e um anos na Policia Militar não iria admitir que fatos graves identificados não recebessem o tratamento correto, qual seja o encaminhamento ao ministério publico para as providencias de praxe.

4.       Você foi convidado para, ao lado de Salvio Spinola atuar na escola de árbitros da CBF e de pronto aceitou o convite. Já tem algum projeto em vista?

Creio que de imediato posso apontar dois que estão bem encaminhados: o primeiro e’ ajustar em detalhes o DVD com jogadas do campeonato brasileiro das series A e B que como afirmado esta quase pronto e a outra e’ terminar o planejamento para alicerçar o caminho dos pré-selecionados para a copa de 2014 com treinamentos focados neste objetivo.

Depois levarei ao Diretor Presidente da ENAF um projeto nos moldes da FIFA de “plataforma de instrução” com jogadas e fatos a serem discutidos.

5.       Edson Resende assume interinamente o quadro e já deixou claro que este período não ultrapassará um mês. É uma função desgastante aos extremos? Quais foram as maiores dificuldades que encontrasses?

Creio que ao longo das respostas abordei alguns, porém a dedicação e acompanhamento de jogos todos os dias nas fases decisivas das quatro series e’ extremamente desgastante, pois não duvidas de que a cobrança de todos e’ sobre o Presidente por mais presentes que estejam os demais membros da comissão. Funciona mais ou menos parecido como quem comanda uma Unidade Militar. A responsabilidade é dele!

6.       Foi pouco tempo, mas muito intenso, sem dúvidas! O que a comissão sob seu comando deixa para a arbitragem brasileira?

Gaciba creio que ter terminado as quatro séries do campeonato brasileiro sem reclamações na fase final, mostrando que houve legitimidade nos resultados e ter revelado vários jovens árbitros para o futebol brasileiro que em breve com certeza estarão na categoria internacional.

7.       Uma conquista é o curso para instrutores da CONMEBOL que ocorrerá em Abril no Espírito Santo. Como está a expectativa e quem serão os convidados para este evento?

Com certeza será um grande evento pois aqui estará reunida a “nata” dos instrutores Sul americanos, o que por si só já é garantia de excelência.

8.       Árbitros e dirigentes arbitrais tem entrado em contato contigo após sua renúncia? O que eles pensam sobre isso?

De fato tenho recebido inúmeras mensagens e telefonemas de árbitros e  instrutores principalmente agradecendo apesar do curto espaço as oportunidades que foram dadas em cursos e designações. A estes digo que não há o que agradecer, pois o trabalho deve  ser feito buscando o crescimento da arbitragem nacional.

Aproveito para agradecer o apoio que sempre recebi de todos que gravitam no entorno da arbitragem e reafirmar que na ENAF estarei a disposição de todos naquilo em possa agregar e somar na busca da excelência da arbitragem brasileira.

http://sportv.globo.com/platb/blog-do-gaciba/2013/02/27/entrevista-com-aristeu-leonardo-tavares-ex-presidente-da-comissao-de-arbitragem-da-cbf/

Autor: Sérgio Corrêa

Árbitro na Federação Paulista de Futebol (1981-2001) e da Confederação Brasileira de Futebol (1989 a 2001); Ocupou cargos administrativos nos sindicatos entre 1990-93 e 1996-03, Eleito e reeleito presidente para dois mandatos: o primeiro compreendido entre 03/02/2003 a 08/04/207 e o segundo, de 09/04/2007 a 08/04/2011. Deixou a função para assumir a presidência da CA-CBF. Pela Associação Nacional dos Árbitros de Futebol ocupou os cargos de secretário-geral, entre 25/10/1997 e 13/05/2003. Já, na Comissão de Arbitragem, foi secretário-geral entre 25/10/2005 e 06/08/2007. Nomeado presidente da CA-CBF em duas oportunidades, a primeira entre 07/08/2007 a 22/08/2012, a segunda, de 13/05/2014 a 28/09/2016. Também foi diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, entre 07/01/2013 a 12/05/2014. Atualmente, continua chefiando o DA (desde 22/08/12) e lidera o projeto de árbitro assistente de vídeo, nomeado junto a FIFA desde 15/09/2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s