AAV: Marinho avalia preparação

CURSO DE CAPACITAÇÃO

03/10/2017 às 21:02 | Assessoria CBF

Árbitro de Vídeo: Marcos Marinho avalia preparação

Créditos: Marcos Paulo Rebelo/CBF

O curso de capacitação do Árbitro Assistente de Vídeo (VAR) recebeu a terceira turma na tarde desta terça-feira (3). A preparação para o uso da ferramenta tecnológica segue em ritmo forte no Eco Resort Oscar Inn, em Águas de Lindóia (SP). O presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Marcos Marinho, acompanha as atividades de perto.

Esta terça foi marcada pelo encerramento da segunda turma de 16 árbitros e assistentes e o início do cronograma da turma 3. Marcos Marinho fez uma análise do desempenho dos participantes.

– Acho que é de suma importância para quem vai operar todo o equipamento, fazer o jogo, a forma como a gente vai utilizar essa ferramenta. Vimos que não é tão fácil, não é tão simples. É complexo. Requer equipamentos, pessoas bem treinadas, operadores bem treinados, para que a coisa transcorra dentro da normalidade de uma partida. Sempre visando interromper o mínimo possível. É esse treinamento que estamos fazendo. Vamos manter a qualidade dentro da performance dos árbitros. Para isso temos de estar aqui treinando exaustivamente – destacou.

O nível de evolução dos árbitros e assistentes no trato com a ferramenta do VAR é nítido para o presidente da Comissão de Arbitragem da CBF. Marinho, no entanto, enfatiza que o trabalho não para por aqui.

– Eles têm um ganho muito grande na medida em que vão treinando e se adaptando ao trabalho da forma como tem de ser feito. O treinamento está muito positivo, mas vamos continuar. Não termina aqui! Teremos algumas simulações de partidas, o já é diferente, com uma outra conotação, e depois virá a partida para valer. Então, espero que quando dermos o pontapé inicial, já esteja todo mundo preparado – acrescentou.

As atividades do curso de capacitação estão ajudando bastante. É o que diz o árbitro Rodrigo Raposo. O representante da Federação do Distrito Federal, no entanto, reforça que o VAR deve interferir no jogo o menos possível.

– Tivemos atividades muito interessantes para praticar tudo o que aprendemos na parte teórica e assimilando o jogo com o auxílio do Árbitro de Vídeo. Temos de atuar como se não tivesse o VAR. Ir para o jogo naturalmente e, se tiver um lance claro, clamoroso, que o árbitro de campo não tenha observado, aí sim o Árbitro de Vídeo vai intervir – declarou.

Autor: Sérgio Corrêa

Árbitro na Federação Paulista de Futebol (1981-2001) e da Confederação Brasileira de Futebol (1989 a 2001); Ocupou cargos administrativos nos sindicatos entre 1990-93 e 1996-03, Eleito e reeleito presidente para dois mandatos: o primeiro compreendido entre 03/02/2003 a 08/04/207 e o segundo, de 09/04/2007 a 08/04/2011. Deixou a função para assumir a presidência da CA-CBF. Pela Associação Nacional dos Árbitros de Futebol ocupou os cargos de secretário-geral, entre 25/10/1997 e 13/05/2003. Já, na Comissão de Arbitragem, foi secretário-geral entre 25/10/2005 e 06/08/2007. Nomeado presidente da CA-CBF em duas oportunidades, a primeira entre 07/08/2007 a 22/08/2012, a segunda, de 13/05/2014 a 28/09/2016. Também foi diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, entre 07/01/2013 a 12/05/2014. Atualmente, continua chefiando o DA (desde 22/08/12) e lidera o projeto de árbitro assistente de vídeo, nomeado junto a FIFA desde 15/09/2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: