Novas insígnias

– A justiça com excelência gera o respeito de todos e, principalmente, dos praticantes do futebol. No centro da insígnia, sob uma meia-lua invertida, temos o ano de sua utilização, o que simboliza a certeza do trabalho por uma temporada. O árbitro só depende da própria competência para garantir a sua manutenção.

PADRONIZAÇÃO

13/06/2015 às 19:34 | Assessoria CBF

Comissão de Arbitragem cria novas insígnias

A Comissão de Arbitragem da CBF procura a evolução a cada passo. Enquanto luta contra a indisciplina em campo, também investe em melhorias das condições de trabalho dos árbitros e no aperfeiçoamento da equipe, com orientações e cursos de reciclagem. Neste fim de semana, mais uma novidade pode ser vista em campo. Os uniformes estão com as novas insígnias, que identificam cada membro da equipe de arbitragem.

De acordo com o presidente da Comissão de Arbitragem, Sérgio Corrêa, a nova insígnia a ser utilizada pelos integrantes da relação nacional dos árbitros de futebol tem características especiais e padronizadas. Ele explicou cada detalhe.

– No centro, temos a categoria do árbitro em prata, com fundo azul, representando a missão principal de um árbitro: fazer justiça. No flanco direito, o verde é a regularidade esperada de seus oficiais, com a sigla da CBF, entidade de administração do futebol brasileiro. Pelo flanco esquerdo, a bandeira amarela identifica a função dos assistentes, em ouro, que é a busca pela excelência de seu desempenho. A união dos dois símbolos forma um apito, também em prata para mostrar a integridade necessária a quem escolhe a atividade.

A insígnia da arbitragem brasileira será usada em todos os campeonatos. Ela é identidade dos árbitros para os jogadores e o público do futebol. Para Sérgio Corrêa, as iniciativas da Conaf estão fortalecendo a disciplina em campo e o desenho da marca levou em consideração esse novo momento.

– A justiça com excelência gera o respeito de todos e, principalmente, dos praticantes do futebol. No centro da insígnia, sob uma meia-lua invertida, temos o ano de sua utilização, o que simboliza a certeza do trabalho por uma temporada. O árbitro só depende da própria competência para garantir a sua manutenção.

http://www.cbf.com.br/noticias/arbitragem/conaf-cria-novas-insignias-para-a-arbitragem-brasileira#.WJFFvPnhDIU

Autor: Sérgio Corrêa

Árbitro na Federação Paulista de Futebol (1981-2001) e da Confederação Brasileira de Futebol (1989 a 2001); Ocupou cargos administrativos nos sindicatos entre 1990-93 e 1996-03, Eleito e reeleito presidente para dois mandatos: o primeiro compreendido entre 03/02/2003 a 08/04/207 e o segundo, de 09/04/2007 a 08/04/2011. Deixou a função para assumir a presidência da CA-CBF. Pela Associação Nacional dos Árbitros de Futebol ocupou os cargos de secretário-geral, entre 25/10/1997 e 13/05/2003. Já, na Comissão de Arbitragem, foi secretário-geral entre 25/10/2005 e 06/08/2007. Nomeado presidente da CA-CBF em duas oportunidades, a primeira entre 07/08/2007 a 22/08/2012, a segunda, de 13/05/2014 a 28/09/2016. Também foi diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, entre 07/01/2013 a 12/05/2014. Atualmente, continua chefiando o DA (desde 22/08/12) e lidera o projeto de árbitro assistente de vídeo, nomeado junto a FIFA desde 15/09/2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: