Desculpas perante juíza!

20 SET2012 às 10h05, atualizado às 10h52

Era difícil acreditar que, do outro lado da linha do telefone, estava o mesmo homem que fez graves denúncias contra a Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf) no início do ano. Poucos meses após divulgar a existência de uma “sujeirada” na entidade, o ex-árbitro carioca Gutemberg de Paula Fonseca usou um tom de voz extremamente calmo para dizer que “tudo aquilo ficou no passado”. Inclusive a sua rusga com Sérgio Corrêa, a quem havia desferido insultos como “corrupto” em entrevista à Rádio Jovem Pan .

Presidente da Conaf na época das acusações e agora chefe do recém-criado Departamento de Arbitragem da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Corrêa se encontrou com Gutemberg na semana passada, em uma audiência judicial. Foi o último episódio do processo que o dirigente movia contra o ex-árbitro. “O Gutemberg me pediu desculpas na frente da juíza por tudo aquilo que havia falado de mim na mídia. Eu aceitei. Não estou a fim de ganhar o dinheiro de ninguém. Não preciso disso. Da minha parte, é um assunto resolvido”, garantiu.

A outra parte também não quer mais controvérsia. Apesar de ter preferido não se alongar em suas respostas quando ouviu o nome de Sérgio Corrêa, Gutemberg avisou: “O caso foi definido. Ficou tudo como deveria”. Para falar sobre a briga judicial, mais duas frases do ex-árbitro: “Foram vários processos. De tudo isso, prevaleceu a integridade dos homens”. E, por fim, outras duas para negar que o pedido de desculpas (além da obrigatoriedade de doar uma cesta básica ao Instituto Nacional do Câncer) tenha transformado um desafeto em um amigo próximo: “Nunca mais nos falamos, até porque ele fica em São Paulo, e não no Rio. Quando conversávamos, era em encontros de arbitragens”.

Em janeiro, Gutemberg propagou uma polêmica conversa que teria mantido com Corrêa. Seu superior, nas palavras do ex-árbitro, havia dito antes da vitória por 5 a 1 do Corinthians sobre o Goiás, pelo Campeonato Brasileiro de 2010: “Boa sorte. Vai apitar o jogo do Timão, hein?”. O ex-árbitro encarou a suposta declaração como uma prova de que a Conaf desejava o favorecimento da equipe paulistana naquela partida.

Para os atingidos por Gutemberg, ele só havia desabafado com tanta veemência por ter perdido o status de árbitro internacional no momento da promoção do também carioca Pericles Bassols. Sérgio Corrêa ainda pensa assim. “Ele estava sob forte emoção quando saiu do quadro da Fifa”, relevou o ex-presidente da Conaf, relatando que o rebaixamento de categoria costumava ser angustiante para os profissionais.

“Até o episódio Edílson Pereira de Carvalho, era muito raro um árbitro deixar de pertencer à Fifa. Na minha gestão, eu disse que discordava disso. É preciso ter regularidade para se manter. Passamos a promover árbitros mais novos e a tirar aqueles que deveriam sair”, disse.


https://esportes.terra.com.br/futebol/brasileiro-serie-a/apos-acusacoes-gutemberg-pede-desculpas-e-faz-as-pazes-com-correa,8abd3987780ca310VgnCLD200000bbcceb0aRCRD.html.

Meses depois…

Após acusação de corrupção no apito, Gutemberg faz acordo com ex-Conaf

LANCEPRESS! –  19/09/2012 –  13:36

A briga entre o ex-árbitro Gutemberg de Paula Fonseca e Sérgio Corrêa, ex-presidente da Comissão Nacional de Arbitragem e atualmente chefe do Departamento de Arbitragem da CBF, terminou em um acordo.

Gutemberg, além de pedir desculpas diante de Corrêa, terá que pagar uma cesta básica no valor de um salário mínimo ao Instituto Nacional do Câncer (Inca). Em compensação, as duas partes concordaram em retirar as ações cíveis que têm uma contra a outra na Justiça do Rio. A CBF divulgou nesta quarta-feira a ata da audiência realizada no último dia 13, quando as partes encerraram a disputa jurídica.

As acusações de Gutemberg de Paula Fonseca foram feitas em janeiro deste ano, logo após ele ter sido comunicado que havia perdido lugar no quadro de árbitros da Fifa. Segundo ele, que citou uma ligação do então presidente da Conaf, Sérgio Corrêa comandaria um esquema em prol do favorecimento de alguns times no Campeonato Brasileiro, entre eles o Corinthians. Gutemberg chegou a dizer que Sérgio Corrêa era “corrupto”.

O ex-árbitro disse ter um dossiê para provar a manipulação de Corrêa, o caso foi parar no Superior Tribunal de Justiça Desportiva, mas as acusações foram consideradas infundadas.


Sergio Correa entra com ação contra Gutemberg Fonseca

DE PRIMA, 01/02/2012 – 08:34

O chefe de arbitragem da CBF, Sergio Correa, entrou na Justiça do Rio com uma ação de injúria contra o ex-árbitro Gutemberg Fonseca, que o acusou de irregularidades na gestão da arbitragem nacional. No fim do ano passado, Correa tirou o escudo da Fifa de Fonseca e o devolveu a Péricles Bassols, também do Rio.


Guttemberg denuncia sistema

que também o beneficiou!

Grande parte das palavras, ditas em forma de denúncia pelo ex-árbitro Guttemberg de Paula Fonseca, ao jornalista Fernando Sampaio, da rádio Jovem Pan, precisam ser analisadas com a ponderação necessária.

E isso não quer dizer que sejam inverdades, longe disso, até porque, quem vive os bastidores do esporte, sabe bem que Sergio Corrêa da Silva, a quem taxou como “corrupto”, de fato, parece realmente sê-lo.

Muitas são as denúncias contra o chefe da arbitragem brasileira, quase todas em “off”, mas semelhantes ao que disse Guttemberg.

Mas, o simples fato dele relatá-las apenas após ter sido prejudicado pelo esquema, e se calado quando este o beneficiava, demonstra sua enorme deficiência de caráter.

Pior ainda foi ter jogado no ar um possível beneficiamento do Corinthians – que até pode ter ocorrido – sem citar outros jogos, de outras equipes, em que, evidentemente, ordem semelhante lhe foi transmitida.

Basta conversar com ex-árbitros, e até com alguns atuais, para se ter a constatação de que é IMPOSSÍVEL qualquer deles chegar à FIFA sem acatar “sugestões” de Correa da Silva e outros dirigentes.

O que demonstra o mar de lama em que chafurda toda a arbitragem nacional, viciada em esquemas que favorecem sempre os amigos do poder.

As denúncias de Guttemberg devem sim ser investigadas com rigor, e os culpados severamente punidos.

Porém a imprensa deve tomar muito cuidado com suas palavras, oriundas de alguém que participou de todo o esquema e que, claramente, contará apenas o que lhe for conveniente.


Referência: https://blogdopaulinho.com.br/2012/01/07/guttemberg-denuncia-sistema-que-tambem-o-beneficiou/


Publicado em terça-feira, 10 de janeiro de 2012 às 19:32

Árbitro carioca diz sofrer intimidações

Depois das denúncias de corrupção na arbitragem brasileira, o árbitro carioca Gutemberg de Paula Fonseca reforçou que tem provas que corroboram as acusações contra o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Sérgio Corrêa, e disse ainda que seus advogados estão sendo alvo de intimidações.

“Tenho um advogado que trabalha no caso desde 2007. Ele recebeu cerca de dez telefonemas, de um número restrito. A conversa teve a intenção de coagir o trabalho dele. A pessoa pediu o endereço dele, falou que queria enviar uma notificação”, disse Gutemberg Fonseca, em entrevista à Rádio Paiquerê, de Londrina (PR).

“Esse tipo de notificação teria que chegar ao meu endereço, não no endereço do meu advogado. Já pedimos a quebra de sigilo telefônico. A ligação pode ser de um número restrito, mas ele fica armazenado na operadora. Eles querem me fazer calar, mas não vão”, ameaçou o árbitro, que fez as acusações contra Sérgio Corrêa depois de ter sido retirado do quadro da Fifa em favor do também carioca Péricles Bassols, que havia perdido o direito ao escudo da entidade anteriormente justamente para Gutemberg Fonseca.

Na semana passada, Gutemberg Fonseca relatou que Sérgio Corrêa o teria pressionado antes de um jogo entre Corinthians e Goiás, pelo Campeonato Brasileiro de 2010. “Ele me disse antes do jogo em que o Corinthians ganhou por 5 a 1 do Goiás: ‘É jogo do Timão, hein?’ O que eu posso entender com isso? Que se o Corinthians não ganha, eu posso nunca mais ser escalado”, argumentou o árbitro.

A reportagem tenta contato com Sérgio Corrêa desde a última sexta-feira, quando foi feita a denúncia, mas ele não atende as ligações. O presidente da Conaf se pronunciou através de nota, divulgada no sábado pela CBF, antecipando que processaria judicialmente Gutemberg Fonseca nas esferas desportiva (ofensa moral), cível (responsabilidade civil para obtenção de reparo pecuniário por dano moral) e criminal (crime de injúria).

A nota divulgada por Sérgio Corrêa classifica as denúncias como “absurdas e levianas” e trata Gutemberg Fonseca como ex-árbitro, ainda que ele não tenha oficializado sua aposentadoria do apito. O acusador chegou a qualificar o presidente da Conaf como “corrupto” e prometeu “contribuir para que essa sujeirada toda seja lavada”.

http://www.dgabc.com.br/Noticia/13869/arbitro-carioca-diz-sofrer-intimidacoes.

 


06/01/2012 15h22 – Atualizado em 06/01/2012 22h49

Após ser excluído da Fifa, árbitro diz que há corrupção na arbitragem

Gutemberg de Paula Fonseca diz que Sérgio Corrêa, presidente da Conaf, é ‘corrupto’ e resolve encerrar a carreira de árbitro

Por GLOBOESPORTE.COM, Rio de Janeiro

 O árbitro carioca Gutemberg de Paula Fonseca deu uma polêmica entrevista nesta sexta-feira. O principal alvo do juiz, que soube na quinta-feira ter deixado o quadro de árbitros da Fifa, foi o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Sérgio Corrêa. À Rádio Jovem Pan, Gutemberg insinuou que Sérgio Corrêa pediu favorecimento ao Corinthians. Ele ainda chamou o dirigente de “corrupto”.

Segundo Gutemberg de Paula, Sérgio Corrêa vinha exigindo nos últimos anos que os árbitros ligassem para ele assim que eram escalados para seus respectivos jogos. Assim sendo, todos recebiam alguma recomendação sobre o jogo que iriam comandar.

– Ele inventou a situação de que quando o árbitro recebe a escala, deve ligar para ele e receber recomendações. Eu tenho provas para que essa sujeirada seja lavada. Eu, por exemplo, fui escalado para um jogo entre Corinthians e Goiás, em que o Corinthians ganhou por 5 a 1. E antes do jogo, ele disse assim: “Vai lá, boa sorte. Vai apitar o jogo do Timão, hein” O que eu posso entender disso? Que se o Corinthians não ganha eu podia para o resto da vida não ser escalado. Ser punido e ficar fora. Tem muito mais coisa, tudo fundamentado e documentado com provas. A nossa relação começou a se acirrar porque parei de ligar. – disse Gutemberg à Jovem Pan sobre a partida que apitou no Campeonato Brasileiro de 2010.

Garantindo ter provas contra Sérgio Corrêa, Gutemberg sugeriu que a perda do escudo da Fifa foi uma represália, uma vez que não vinha cumprindo as “ordens” do presidente.

– Acho que voltamos aos tempos das Capitanias Hereditárias, mas na arbitragem brasileira. Ele é corrupto. Corrupção não é só a ação de seduzir por dinheiro. Mas ela é a ação de seduzir por presentes. Escalam um árbitro quando atendem aos anseios dele. Ele não convence que tenha sido por outro motivo que não seja o político, de interesse pessoal dele. Passei em todos os testes – desabafou o árbitro carioca.

Apito pendurado

Mais tarde, em nova entrevista, desta vez à Rádio Tupi, Gutemberg, que tem 38 anos de idade e poderia ser árbitro até os 45, anunciou que encerrou sua carreira no apito.

– Parei com a arbitragem. Cansei dessa sujeirada, não vou ficar atuando para ser perseguido. Parei por causa dele (Sérgio Corrêa), da perseguição dele. Imagina os novos árbitros, o que eles vão passar. Comuniquei também à minha federação (do Rio de Janeiro) e agradeci por tudo, mas parei – disse o agora ex-árbitro.

Em entrevista à Rádio Globo do Rio de Janeiro, Gutemberg afirmou que vem tendo problemas com Sérgio Corrêa desde 2007, quando entrou com um processo na 32ª Delegacia de Polícia (Taquara, Jacarepaguá, zona Oeste do Rio de Janeiro). Ele acrescenta que mesmo com a proibição de os árbitros darem entrevistas, decisão de Corrêa, não se furtou a atender à imprensa e que possui um dossiê com mais de mil documentos com provas contra atitudes de Corrêa na Comissão de Arbitragem da CBF. E afirmou que só soube que estava excluída do quadro da Fifa pelo site da entidade:

– Há um artigo da Fifa que diz que as federações e confederações podem substituir árbitros dos seus quadros, mas que precisam apresentar argumentos para isso. Gostaria muito de saber qual foi a fundamentação apresentada pela Comissão de Arbitragem da CBF para a minha saída, já que as avaliações sobre minhas atuações eram excelentes.

Para o comentarista de arbitragem da TV Globo, Arnaldo César Coelho, é necessário ver as acusações no contexto:

– O Gutemberg deve estar emocionalmente abalado por ter saído da Fifa. As acusações são graves e devem ser apuradas. Com certeza a CBF e o presidente da Comissão de Arbitragem vão mandar isso para o Tribunal de Justiça Desportiva e talvez até para a Justiça Comum. Mas, há dois anos, quando foi indicado para o quadro da FIFA, o Gutemberg achava o Sérgio bonito. Agora, quando saiu, passou a considerá-lo feio.

No fim de 2010, Gutemberg havia substituído Péricles Bassols no quadro da Fifa. Agora, Bassols retomou a posição. No último Campeonato Brasileiro, Gutemberg foi o árbitro Fifa que menos apitou. Apenas oito jogos.


http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2012/01/arbitro-do-rio-de-janeiro-denuncia-corrupcao-no-futebol-brasileiro.html


06/01/2012 22h05 – Atualizado em 06/01/2012 22h50

Presidente da Anaf critica declarações de Gutemberg: ‘Absurdo’

Marco Antonio Martins diz que denúncias do árbitro não têm credibilidade
ao se tornarem públicas somente após a perda do escudo da Fifa

Por GLOBOESPORTE.COMRio de Janeiro

 O presidente da Associação Nacional de Árbitros (Anaf), Marco Antonio Martins, criticou nesta sexta-feira o árbitro carioca Gutemberg de Paula Fonseca, que concedeu uma polêmica entrevista após ter deixado o quadro de árbitros da Fifa. As declarações do juiz contra o presidente da Comissão Nacional de Arbitragem (Conaf), Sérgio Corrêa, não foram bem recebidas pela Anaf. Para Marco Antonio Martins, Gutemberg teve uma “atitude leviana num momento inoportuno” ao chamar Corrêa de “corrupto”.

– Ele só disse essas coisas agora porque perdeu o escudo da Fifa. Assim perde toda a credibilidade, não acreditamos nesse tipo de denúncia. É uma atitude leviana num momento inoportuno – declarou o presidente da Anaf, por telefone, ao GLOBOESPORTE.COM.

À Rádio Jovem Pan, Gutemberg insinuou que Sérgio Corrêa pediu favorecimento ao Corinthians. Segundo o juiz, Corrêa vinha exigindo nos últimos anos que os árbitros telefonassem para ele assim que eram escalados para seus respectivos jogos. Assim sendo, todos recebiam alguma recomendação sobre o jogo que iriam comandar. No entanto, segundo o presidente da Associação Nacional de Árbitros, tal procedimento é normal na arbitragem e, inclusive, vem como uma das normas em todas as escalas.
arbitragem árbitro escala (Foto: Reprodução)
Escala de árbitros traz como ordem telefonema para a Comissão de Arbitragem (Foto: Reprodução)
– Quando sai a escala existe a recomendação sobre a ligação para a Comissão de Arbitragem. Todos ligam. Se estão cientes da escala, se chegaram na cidade do jogo, enfim. Isso é corriqueiro, não vejo espanto nisso. O Sergio Corrêa tem o direito de alertar os árbitros sobre riscos no jogo, sobre polêmicas, sobre algo que aconteceu há três meses envolvendo os times. Não é nenhum mistério, nenhuma coisa escondida. O que ele disse é um absurdo. Onde está o absurdo numa pessoa falar com o seu diretor antes de cumprir uma função? – indagou Marco Antonio Martins.
Com a perda do escudo da Fifa, Gutemberg perderia cerca de R$ 300 por partida apitada na Série A.

– A nossa postura é em defesa da arbitragem. Não estamos do lado de ninguém. Mas ele vai ter que provar o que falou sobre a arbitragem brasileira – finalizou o presidente da Associação Nacional de Árbitros.

http://globoesporte.globo.com/futebol/noticia/2012/01/presidente-da-anaf-critica-declaracoes-de-gutemberg-absurdo.html

Autor: Sérgio Corrêa

Árbitro na Federação Paulista de Futebol (1981-2001) e da Confederação Brasileira de Futebol (1989 a 2001); Ocupou cargos administrativos nos sindicatos entre 1990-93 e 1996-03, Eleito e reeleito presidente para dois mandatos: o primeiro compreendido entre 03/02/2003 a 08/04/207 e o segundo, de 09/04/2007 a 08/04/2011. Deixou a função para assumir a presidência da CA-CBF. Pela Associação Nacional dos Árbitros de Futebol ocupou os cargos de secretário-geral, entre 25/10/1997 e 13/05/2003. Já, na Comissão de Arbitragem, foi secretário-geral entre 25/10/2005 e 06/08/2007. Nomeado presidente da CA-CBF em duas oportunidades, a primeira entre 07/08/2007 a 22/08/2012, a segunda, de 13/05/2014 a 28/09/2016. Também foi diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, entre 07/01/2013 a 12/05/2014. Atualmente, continua chefiando o DA (desde 22/08/12) e lidera o projeto de árbitro assistente de vídeo, nomeado junto a FIFA desde 15/09/2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: