Como nasceu o Árbitro de Vídeo?

 

11/09/2015 15h27 – Atualizado em 11/09/2015 18h31

CBF vai pedir à Fifa permissão para o uso de vídeos na arbitragem em 2016

Entidade divulga comunicado, afirmando que pretende adotar a ajuda da tecnologia para jogos do Brasileirão. Medida criaria novo cargo: o árbitro de vídeo

Depois de um pedido dos clubes em reunião na quinta-feira, a CBF afirmou que estuda o uso das câmeras de vídeo para auxiliar as arbitragens no Campeonato Brasileiro de 2016. A entidade depende de uma autorização da Fifa para adotar a ajuda eletrônica. De acordo com o comunicado, o ex-juiz Manoel Serapião Filho, hoje diretor da Escola Nacional de Arbitragem, viajará para Londres em outubro para tentar a liberação do uso de imagens.

Com a medida, seria criado um novo cargo: o árbitro de vídeo. Ele seria responsável por analisar seis tipos de jogadas: dúvida se a bola entrou no gol ou não, se a bola saiu pela linha de fundo ou não, se uma falta aconteceu dentro ou fora da área, anulação de gols e de pênaltis por faltas claras e indiscutíveis, impedimentos por interferência e ainda jogo brusco ou agressão física.

– Sabemos que é impossível a seres humanos atingir o índice de erro zero na arbitragem. Por isso, considerando a solicitação dos clubes, a CBF pleiteará junto à Fifa a aprovação do uso de imagens da TV para auxiliar os árbitros. Queremos que o Brasil tome a liderança no processo de introdução da tecnologia no futebol e que sirva de referência para outros campeonatos no mundo – afirmou o presidente da CBF, Marco Polo del Nero, no comunicado.

Wallace desvia a bola com o braço, mas gol do Fla foi validado contra o Flu (Foto: Reprodução)

O presidente da Comissão de Arbitragem da CBF, Sergio Corrêa, afirma que o uso da tecnologia não irá acabar com todas as dúvidas durante uma partida. No entanto, espera evitar que erros de avaliação prejudiquem diretamente o resultado em campo.

 

– É importante dizer que a tecnologia não evitará todos os equívocos de arbitragem, pois a atuação do árbitro de vídeo somente se dará para evitar erros claros, indiscutíveis e que tenham influência no resultado da partida. A comissão está muito satisfeita em participar deste processo de evolução da arbitragem – afirmou Corrêa.

 

O comentarista do SporTV Wagner Vilaron lembrou que a Fifa já autorizou outros testes no Brasil, como o uso do spray para marcar a posição da barreira nas cobranças de falta e a presença de auxiliares extras, na linha de fundo. O apresentador do “Seleção SporTV” Marcelo Barreto acredita que o uso do vídeo no futebol pode ser semelhante ao que acontece no vôlei.

 

– O árbitro de vídeo não pode ter mais autoridade que o árbitro de campo. Isso já acontece no vôlei. Existem momentos em que o vídeo não consegue tirar a dúvida. Aí o árbitro arbitra. Faz o que o nome dele diz. Isso vai dar mais um elemento para o árbitro avaliar.

 

A CBF informou ainda que os clubes terão cinco representantes (um de cada região do Brasil) para acompanhar as escalas, notas e sorteios de árbitros nas quatro séries do Brasileirão. Além disso, os nomeados também poderão seguir a reciclagem dos juízes na Escola Nacional de Arbitragem.

 

Anúncio é feito uma semana após polêmicas

 

O anúncio do pedido para o uso de tecnologia acontece nove dias depois das polêmicas da 22ª rodada do Brasileirão. No dia 2 de setembro, o líder Corinthians foi beneficiado por um gol mal anulado do Fluminense, que empataria a partida em Itaquera. O jogo acabou 2 a 0 para o Timão.

 

No mesmo dia, Marcelo de Lima Henrique teve uma arbitragem polêmica no Independência, na derrota do vice-líder Atlético-MG para o Atlético-PR por 1 a 0. O presidente do Galo, Daniel Nepomuceno, fez duras críticas a Sergio Corrêa, que comanda a comissão de arbitragem.

 

Na partida entre Ponte Preta e Cruzeiro, o time de Campinas foi derrotado por 2 a 1, reclamou de um pênalti não marcado e de um gol mal anulado. A direção da Ponte chegou a pedir a anulação da partida no STJD. Depois da rodada, a CBF anunciou o afastamento de cinco auxiliares e de um árbitro.

Na rodada seguinte, no Fla-Flu, o zagueiro Wallace, do Rubro-Negro, fez um passe com o braço, para Emerson Sheik abrir o placar. No entanto, Ricardo Marques Ribeiro validou o gol. Depois da partida, inclusive o clube da Gávea reclamou da qualidade dos juízes.

Marcelo de Lima Henrique foi cercado por jogadores do Atlético-MG, na derrota para o Atlético-PR

(Foto: Reprodução/PFC)

http://sportv.globo.com/site/programas/selecao-sportv/noticia/2015/09/cbf-vai-pedir-fifa-permissao-para-o-uso-de-videos-na-arbitragem-em-2016.html

 

Autor: Sérgio Corrêa

Árbitro na Federação Paulista de Futebol (1981-2001) e da Confederação Brasileira de Futebol (1989 a 2001); Ocupou cargos administrativos nos sindicatos entre 1990-93 e 1996-03, Eleito e reeleito presidente para dois mandatos: o primeiro compreendido entre 03/02/2003 a 08/04/207 e o segundo, de 09/04/2007 a 08/04/2011. Deixou a função para assumir a presidência da CA-CBF. Pela Associação Nacional dos Árbitros de Futebol ocupou os cargos de secretário-geral, entre 25/10/1997 e 13/05/2003. Já, na Comissão de Arbitragem, foi secretário-geral entre 25/10/2005 e 06/08/2007. Nomeado presidente da CA-CBF em duas oportunidades, a primeira entre 07/08/2007 a 22/08/2012, a segunda, de 13/05/2014 a 28/09/2016. Também foi diretor-presidente da Escola Nacional de Arbitragem de Futebol, entre 07/01/2013 a 12/05/2014. Atualmente, continua chefiando o DA (desde 22/08/12) e lidera o projeto de árbitro assistente de vídeo, nomeado junto a FIFA desde 15/09/2015.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s